No Pará, redução de crimes violentos há mais de 30 dias é constatada na metade dos municípios

Ações descentralizadas da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) contribuíram para que metade dos 144 municípios paraenses não registrassem Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) há mais de 30 dias. São definidos como CVLI os crimes de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte. Os dados são da Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac), vinculada à Segup, que realiza estudo da criminalidade no Pará.

Entre os municípios que estão há mais de 30 dias sem CVLI estão Bujaru, Eldorado do Carajás, Goianésia do Pará, Itaituba, Nova Timboteua, Ourilândia do Norte, Rio Maria, Tracuateua, Viseu e Vitória do Xingu, representando a maioria das regiões. O levantamento foi realizado até 22 de novembro deste ano. Alguns municípios estão sem registros de crimes violentos há bem mais tempo, como Curuá, no oeste paraense, que atingiu a marca de 526 dias sem CVLI, registrando a última ocorrência em 15 de junho de 2019.

Monitoramento – Para o secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado, os números reforçam que, apesar de as ações terem sido potencializadas na Região Metropolitana de Belém, inicialmente e observando as manchas criminais, a atuação policial no restante do Estado também é prioridade. “Nós monitoramos diariamente, a toda hora os índices de violência não só na RMB, mas em todo o interior do Pará. E nós estamos detectando agora que 72 municípios, dos 144, não têm qualquer registro de crime violento letal intencional nesses últimos 30 dias. Na verdade, alguns municípios estão há 700 dias, outros há 500 dias, 400 dias, mas o certo é que nós temos uma série de 72 municípios que em 30 dias ou mais não registram qualquer ocorrência dessa natureza”, afirmou o secretário.

Ainda segundo Ualame Machado, a redução, que alcança 59% dos municípios, reflete os projetos do Estado que tiveram êxito. A presença das forças de segurança nessas localidades e a estratégia de integração, somadas à atuação da inteligência, favorece cada vez mais os resultados positivos já constatados.

“Pra gente é o indicativo de que estamos no caminho correto, mas que muito ainda precisa ser feito, tendo em vista que alguns municípios ainda apresentam esse dado. Nós monitoramos e estamos aplicando aquilo que vem dando certo na Região Metropolitana também no interior do Estado. O ano de 2020 seria o de interiorização do Terpaz (Programa Territórios pela Paz, do governo do Estado), iniciando por algumas cidades já escolhidas, a exemplo de Parauapebas e Marabá (na região sudeste), em que a gente pretendia no início de 2020 iniciar esse processo. A pandemia nos impediu, porém estamos em fase avançada de implantação, inclusive em alguns locais. E 2021 certamente será o ano das entregas das Usinas de Paz na Região Metropolitana de Belém e também o lançamento do Terpaz em vários outros pontos do Pará”, adiantou Ualame Machado.

Redução nos “Territórios” – Na Região Metropolitana de Belém, nos sete bairros em que ações do TerPaz, os dados de CVLI também têm mostrado reduções significativas, como o Icuí-Guajará, no município de Ananindeua, onde a diminuição é de 10%.

Em Belém, os bairros Cabanagem, Guamá e Terra Firme registram redução de 38%, 39% e 61%, respectivamente. O bairro Centro de Marituba teve redução de 10%.

 

RG 15 / O Impacto com Agência Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *