Artigo – O que teríamos a ganhar com os Balneários Cassinos?

Por Oswaldo Bezerra

Dizem que se você quer falar com um inimigo fale em alemão, caso a finalidade sejam negócios a língua apropriada é a inglesa, com um amigo use o italiano, já com uma amante fale em francês. A língua para ser usada com todas estas variáveis, ao mesmo tempo, é o português. Foi em um bom português que o Jornal O Impacto noticiou que a Polícia Federal fechou casa de apostas em Santarém.

Mesmo o português, quando seu objetivo é fazer política, deve ser usado de maneira formal e, sobretudo, de maneira cordial. Infelizmente, a linguagem chula, que se tornou corriqueira no atual governo, só consegue fazer uma coisa, criar inimigos.

Foi assim, com um linguajar chulo, que o Ministro Paulo Guedes apresentou, em reunião, uma defesa da legalização dos Cassinos no Brasil. Defender algo, por mais que seja certo, de maneira errada pode levar tudo a perder. Paulo Guedes tem toda a razão quanto ao impulso econômico que os Cassinos trazem.

Os efeitos dos Cassinos é fazer com que uma cidade fique densamente povoada, devido à geração de muitos empregos, ocorre multiplicação de comércios paralelos e redes hoteleiras. Além disso, atrai muita gente rica para morar em seu entorno.

Um exemplo disso foi a cidade de Las Vegas, nos EUA. A “Cidade dos Pecados” foi criada no meio do deserto de Nevada. Em meados do século passado, recebeu os primeiros hotéis cassinos. De um vilarejo passou a ser uma das cidades mais ricas do mundo, com um PIB per capita de 43 mil dólares.

No Brasil, os jogos de azar, que incluem os cassinos, são proibidos. Jogos de azar e cassinos também são proibidos na China. Como então que exatamente na China uma cidade substituiu Las Vegas como capital dos Cassinos?

A cidade chinesa dos cassinos é Macau. Ela é a área mais densamente povoada do mundo. Mais de 600 mil pessoas vivem em menos de 30 mil quilômetros quadrados. Macau superou Las Vegas como detentora dos cassinos mais abastados do mundo. A cidade se tornou a mais rica do mundo com um PIB per capita de 143 mil dólares, superando a cidade dos negócios, Qatar, com PIB per capita 139 mil dólares.

Macau é uma região administrativa da China, assim como Hong-Kong, possui autonomia, com mercado aberto e liberal, com livre circulação de capitais. A cidade se tornou referência no setor em toda a Ásia. Os cassinos batem todos os recordes de arrecadação com os bilionários chineses, se vangloriando de ser a única cidade do país em que é liberado esse tipo de atividade.

Bem pensado, bem ponderado, o Brasil poderia criar zonas especiais para permissão de hotéis cassinos. Cidades ou regiões, já especializadas em turismo, seriam as grandes candidatas. Já imaginou Alter do Chão com um grande hotel cassino? O que isso não traria de benefícios para a região? Com adultos na sala, sem palavras chulas e palavrões, poderíamos defender a tese de Balneários Cassinos no Brasil.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *