Decisão de proibir festas de fim de ano em Salinas é exagerada, dizem comerciantes

Donos de hotéis, bares e restaurantes estão preocupados com a suspenção de eventos e shows alusivos às festas de Natal e Réveillon em Salinópolis, nordeste paraense. A decisão foi expedida pelo juiz Antonio Carlos Koury, titular da Vara Única da Comarca do município. A cidade é uma das mais procuradas do estado no final de ano.

Para Jaqueline Negrão, proprietária de um hotel na cidade, a decisão é exagerada e afetará o planejamento dos negócios de hospedaria que depende das altas temporadas. A empresária teme pelas reservas que já haviam sido feitas e o cancelamento das programações agendadas com antecedência.

“Será um grande impacto, pois, com certeza, teremos que reduzir a folha. Vai atingir o planejamento de 2021 porque nosso foco são as temporadas de julho e dezembro. Já estamos comprometidos porque temos reservas pagas, programações, então, isso vai complicar sem dúvida”, disse a empresária.

O diretor de uma empresa de estrutura para eventos, Jefferson Goldenberg, argumenta que o seguimento de eventos deveria ter protocolos de segurança, assim como os demais setores, ao invés da proibição. Ele citou também a abertura dos shoppings que recebem um grande número de frequentadores, entretanto, continuam em funcionamento durante a pandemia.

“Não queremos fingir que a pandemia não existe, não se trata disso. Sou favorável à criação de protocolos de segurança e não o cancelamento das atrações. Eu tinha cinco eventos para montar em Salinas, ou seja, que iriam movimentar 43 pessoas, elas iriam tirar seus sustento disso aí. Agora, esses trabalhadores vão ficar sem nenhuma renda”, explicou Jefferson.

O secretário de turismo de Salinópolis, Júlio Vieira, comentou a que a prefeitura ainda não se posicionou sobre a decisão judicial, porém disse que o trabalho de prevenção à covid-19 no município foi eficaz e, ressaltou, sobre o parecer técnico da Secretaria de Saúde da cidade que liberou, de forma flexível, a realização de eventos, obedecendo as normas de segurança de saúde.

“Para gente como prefeitura vai continuar do jeito que está. Os eventos que estão liberados serão sob responsabilidade dos proprietários, no entanto, estaremos fiscalizando para que não ocorra desobediência das normas de segurança. De maneira nenhuma seremos irresponsáveis para permitir eventos que desobedeçam às regras. A prefeitura em si não fará nenhum evento como costuma fazer em anos anteriores”, afirmou o secretário.

Fonte: Roma News
Foto: Agência Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *