Artigo – China impulsionará um boom do petróleo no Brasil

Por Oswaldo Bezerra

A demanda de energia da China continua a crescer apesar da pandemia COVID-19, e é uma boa notícia para vários países produtores de petróleo da América do Sul, especialmente para Brasil e Argentina, segundo um artigo do portal Oil Price.

A China é o maior importador mundial de petróleo bruto e aumentou suas importações em 9,5% de janeiro a novembro de 2020, em relação ao mesmo período do ano anterior. Os cinco maiores fornecedores de petróleo para a China nesse período foram Arábia Saudita, Rússia, Iraque, Brasil e Angola.

De acordo com o Oil Price, a demanda de energia da China continuará a aumentar durante 2021. Sua economia continua crescendo novamente. O FMI estima que o PIB chinês cresça 8,2% neste ano. A notável aceleração econômica impulsionará um maior consumo de petróleo e gás natural no país asiático.

A China deve se tornar o maior refinador do mundo até 2025. A expectativa do setor é que, somente durante 2021, a capacidade de refino se expanda 3%. Esta é a boa notícia para muitos países produtores de petróleo da América do Sul, especialmente o Brasil. As características do petróleo brasileiro são atraentes para as refinarias, pois são transformados em combustíveis de alto grau API e baixo teor de enxofre.

Outro beneficiário regional importante, do apetite insaciável da China por energia e sua crescente sede por petróleo bruto é a Argentina, já que sua principal variedade de petróleo, Escalante, é um petróleo de alta qualidade.

A demanda por tipos de petróleo como o do Brasil e Argentina está crescendo devido à pressão global para reduzir o teor de enxofre dos combustíveis; e pela facilidade de refino em comparação com as variedades mais pesadas.

A popularidade crescente do Escalante entre os produtores de combustível naval é ilustrada por relatórios dos Emirados Árabes Unidos. O país importa este tipo de petróleo para atender à crescente demanda de suas refinarias para produzir combustível com baixo teor de enxofre para navios.

A crescente demanda da China por energia e a necessidade de impulsionar as importações de petróleo bruto para atender ao consumo cada vez maior serão os principais impulsionadores do boom do petróleo no Brasil, especialmente quando a segunda maior economia do mundo tenta garantir sua segurança energética ao manter reservas estratégicas de petróleo, conclui o artigo do Oil Price .

RG 15 / O Impacto

Um comentário em “Artigo – China impulsionará um boom do petróleo no Brasil

  • 4 de janeiro de 2021 em 14:20
    Permalink

    Detalhe esquecido: por 500 milhões de dólares a China impôs um contrato leonino à Venezuela, que fornecerá petróleo por 25 anos, sem direito a revisão das cláusulas. Muito bonzinhos os chineses !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *