Denunciado por desrespeitar prevenção ao novo coronavírus, superintendente do Incra-RS morre vítima de Covid-19

O superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Rio Grande do Sul, Tarso Teixeira, morreu nesta segunda-feira (4/1), vítima da Covid-19. De acordo com informações, ele foi denunciado junto ao Ministério Público do Trabalho por desrespeitar medidas de prevenção à covid-19, colocando em risco a vida de servidores.

Considerado um dos maiores representantes do agronegócio no estado, Tarso também era diretor vice-presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul). Tarso tinha 69 anos e deixa a esposa, três filhos e dois netos. Políticos e entidades representantes do setor se solidarizaram com a família após a morte do técnico aposentado.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM), disse que “ele [Tarso Teixeira] estava realizando um grande trabalho no instituto para regularização de terras no estado”.

Engenheiro agrônomo e produtor rural, o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS) afirmou que a morte de Tarso se trata de uma “notícia muito dolorida para a primeira semana do ano”.

“Tarso assumiu o Incra-RS, no ano passado, e destravou processos históricos que não tinham andamento há mais de trinta anos”, escreveu o senador gaúcho, em uma rede social.

“Estamos todos de luto com a perda deste grande homem. Meus sentimentos a esposa, filhos, netos e amigos. Ficaram grandes lembranças e a nossa saudade”, prosseguiu.

O deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS), ex-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) na Câmara dos Deputados, também reconheceu a atuação de Tarso no setor.

“É com muita tristeza que recebo a notícia da morte por Covid de Tarso Teixeira. Muito ativo era uma das grandes lideranças do setor agropecuário gaúcho. Descanse em paz, amigo”, assinalou.

O sepultamento do superintendente está previsto para esta segunda-feira em São Gabriel (RS), cerca de 111 quilômetros de distância de São Sepé (RS), onde nasceu.

 

Fonte: Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *