Artigo – Qual o motivo de tanta devoção das igrejas evangélicas brasileiras ao estado de Israel?

Por Oswaldo Bezerra

Hoje se tornou muito comum entrar em igrejas evangélicas no Brasil e se deparar com a bandeira do Estado de Israel. Também é comum o apoio que os evangélicos dão ao governo de Israel. Isso está se tornando muito cotidiano.

Para qualquer pessoa que pondere este vínculo verá que se trata de algo muito estranho. Por que tantos cristãos evangélicos defendem com tanta paixão o país menos cristão do mundo? Apenas 2% da população israelita é cristã. A população israelita cristã evangélica não chega nem próximo a 1%.

A totalidade da população de Israel não reconhece Jesus como seu salvador. Ao contrário, a população israelita o considera um bandido, e que por isso teria sido preso e morto. Por isso nos perguntamos de onde vem este amor incondicional das igrejas evangélicas pelo governo de Israel?

O pouquíssimo número de cristãos no Estado de Israel é o primeiro fato que nos causa surpresa. No Estado hebreu, por exemplo, as Leis para o aborto são totalmente liberais, ao contrário do que pregam os evangélicos. São feitos cerca de 40.000 abortos por ano de maneira legal em Israel, nos seus sistemas públicos de saúde.

No Estado de Israel também se reconhece o matrimônio de casais do mesmo sexo. Estes casais também têm permissão para adotar crianças. Esta é uma característica nada evangélica. Como então os cristãos evangélicos, primariamente anti-abortista e contrário aos movimentos LGBT.

Como os evangélicos apoiam com tanto fervor este país que consideram Jesus um falso profeta e são indiferentes à Ele, além disso, são a favor do aborto e das causas LGBT´s e tolera que eles adotem crianças? A resposta está na Bíblia. Pelo menos é o que se interpreta no chamado cristianismo sionista. São compostas pelas igrejas de EUA e Brasil.

Eles elevam o conceito e englobam o Estado criado há quase 70 anos. Segundo a ótica dos cristãos sionistas, a profecia bíblica de sua segunda vinda para reinar sobre a Terra precisa antes acontecer certos eventos descritos no Velho Testamento. Entre eles, o retorno dos judeus a “Terra Prometida”, e a derrota dos outros povos que a disputam.

É aí que o Estado de Israel e o conflito palestino se encaixam como a mão e a luva para os cristãos sionistas. Segundo a interpretação dos textos sagrados, sem um estado judeu, definitivamente vitorioso, não haverá a segunda vinda nem o reinado de Cristo sobre a Terra.

“Um dia, Jesus reinará desde Jerusalém. O novo Reino será o centro de um domínio global” (Isaías 59-60). “Quando Jesus regressar toda Israel se salvará” (Romanos 9-11).  “Por isso, como cristãos, devemos apoiar e nos solidarizar com Israel” (Genesis 12:13).

Por conta destas leituras, as igrejas evangélicas brasileiras e norte-americanas apoiam que os colonos israelenses expulsem os palestinos. A decisão de Trump de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, foi uma decisão mais importante do que qualquer outro assunto dentro de seu país. Bolsonaro afirmou que amava Israel em sua visita ao museu do holocausto.

Para esta corrente de evangélicos sionistas, qualquer êxito de Israel é uma prova inegável que a chegada de Cristo está mais próxima. Esta visão evangélica sionista se espalhou não só dos EUA para o Brasil, mas se espalha também pelo resto da América Latina. O presidente evangélico da Guatemala, Alejandro Giammatei, afirmou que qualquer inimigo de Israel é inimigo da Guatemala também.

Para estes presidentes evangélicos de Guatemala, Peru, EUA, Brasil o que acontece dentro de seus países é secundário. O importante é a vitória de Israel. Pois só assim Jesus voltaria, os judeus perceberiam seu erro e aceitariam a Jesus.

O amor dos evangélicos é correspondido por Israel? O primeiro ministro deste Estado, Benjamin Netanyahu, afirmou que os melhores amigos de Israel são as comunidades evangélicas. E isso faz surgir novas perguntas.

Por que os judeus estão apoiando os evangélicos, que definem que os judeus estão religiosamente errados e deverão se arrepender? Por que recebem estas comunidades com tanta amizade já que eles acham que Leis sobre aborto e homossexualidade são obras de Lúcifer? A verdade é que o turismo evangélico deixa milhões de dólares no país.

O estado hebreu, com esta coligação, obtém um enorme partido político mundial. Também recebe apoio financeiro, militar. Só nos EUA vivem 35 milhões de evangélicos pró Israel, além de 6 milhões de judeus. Comparando com a população de judeus há mais cristão pró Israel no mundo do que os próprios judeus. O grande lobby dos EUA na ONU, para defender interesses de Israel, não é um lobby composto por judeus, mas por evangélicos.

Este apoio evangélico pró Israel tenta confirmar sua interpretação da Bíblia. Por seu lado, o Estado de Israel consegue este forte apoio necessário, devido a sua posição crítica dentro do Oriente Médio. Assim, é selada uma aliança, mesmo que pese diferentes interpretações religiosas, para decisões bem terrenas.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *