Vânia Portela prioriza fiscalização para que O.S. cumpra contrato

Nesse momento crítico que vive o mundo com o surgimento da covid-19, atuar na saúde e em setores ligados a área é muito desafiador. E assumir a gestão de uma secretaria de saúde de um município com mais de 300 mil habitantes exige ainda mais competência. Em Santarém, no dia 22 de março, assumiu o comando da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) Vânia Portela, ocupando o lugar da Enfermeira Marcela Tolentino, que estava no cargo desde o dia 1° de janeiro deste ano e solicitou exoneração alegando motivos pessoais.

A mudança gera expectativas e se adaptar a estratégias de trabalho já estabelecidas é carregar uma grande responsabilidade. De acordo com Vânia Portela, assumir a gestão da saúde no Brasil é desafiador para qualquer gestor.

“O importante é que a gente consiga planejar as nossas ações, os nossos programas e os projetos para que o município possa levar políticas públicas de saúde para fora da Secretaria. O maior desafio de fato é fazer a gestão da administração pública municipal, na área da saúde, para que a nossa população seja melhor assistida dentro das políticas públicas de saúde e, principalmente, um dos maiores desafios que nós temos é fazer cumprir o contrato de gestão do Instituto Mais Saúde, que presta serviço no Hospital Municipal e na UPA 24h, para que os nossos pacientes e o nosso município tenham uma assistência mais humanizada e de forma respeitada”, ressaltou a Secretária.

Com relação à vacina, tema mais pautados nos últimos tempos por ser uma das soluções fundamentais para o enfrentamento da pandemia que atinge a população do Brasil desde o final de fevereiro de 2020, foi estabelecido um plano nacional pelo Ministério da Saúde, que criou um plano estadual e que Santarém aderiu, mesmo sofrendo algumas alterações quando iniciada a segunda etapa, através de uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MPE) solicitando o adiamento da vacinação da categoria da segurança pública para priorizar toda a faixa etária de vacina para os idosos.

Como destaca a nova Secretária de Saúde, Vânia Portela, “com a quantidade de vacinas recebidas, nós não poderíamos priorizar as outras categorias. Poderíamos sim, se viessem doses suficientes para que a gente pudesse trabalhar um cronograma paralelo, dando direito aos idosos e grupos prioritários da área da saúde que não são diretamente da linha de frente, mas é importante imunizar”.

O cronograma de vacinação atende dentro das doses recebidas e elas ainda não foram suficientes para alcançar todos os grupos prioritários. No entanto, a partir da conclusão de vacinação desses grupos, será possível traçar planos para as categorias dos farmacêuticos, odontólogos, trabalhadores de outras clínicas de saúde que tem grande demanda de atendimento, fisioterapeutas que tratam de pacientes pós-covid, professores, ou seja, profissionais que são indispensáveis para receber essa imunização.

Além dos planos de vacinação, o município na segunda onda da covid instalou em apenas 20 dias o Hospital de Campanha com recurso próprio do governo municipal em parceria com o estado,  e também  mudou as características das Unidades de Pronto Atendimento (UPA), que antes uma unidade de curta permanência passou a ser uma unidade de pronto atendimento especializado da covid, sendo ampliados os leitos de 19 para 60.

Houve outras iniciativas a fim de amenizar o impacto do vírus na cidade. O Ministério Público pleiteou em Ação Civil Pública para que o município de Santarém, o Instituto Mais Saúde e o Estado do Pará viabilizassem equipamentos e a contratação de mais profissionais de saúde com o objetivo de dar suporte mais eficiente no atendimento do tratamento da covid nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). “Estamos no prazo do cumprimento dessa liminar, estamos fazendo a aquisição da compra desses equipamentos e já estamos finalizando. E tão logo faça requisição do material, a empresa certamente vai fazer entrega, e isso vai se tornar público para toda população no que compete o cumprimento dessa liminar ao município de Santarém. E certamente o Instituto Mais Saúde vai tomar suas medidas dentro do que lhe cabe para o cumprimento dessa liminar”, afirmou Vânia Portela.

Para que os esforços no combate a pandemia continuem avançando é preciso seguir outros cuidados além de usar máscara, álcool em gel e manter o distanciamento. Os indivíduos já vacinados pela primeira vez precisam observar qual a vacina que está sendo aplicada, o prazo da segunda dose da Coronavac, que pode ser de 60 a 90 dias, ou astrazeneca, que pode ser 90 dias.  Portanto, é necessário esses cuidados dos vacinados quanto ao tipo de vacina e o período de aplicação para posteriormente retornarem e receberem a segunda dose. Seguindo as orientações dos órgãos de saúde, aliados ao comportamento da população que tem contribuído com a não disseminação do vírus e uma força tarefa do governo municipal, Estadual e Ministério da Saúde, é possível identificar melhoras nos estados clínicos de alguns pacientes e diminuição no número de internados na UPA e no Hospital de Campanha.

Os sete postos descentralizados de vacinação contra a covid-19 estão sendo fundamentais na distribuição do imunizante em Santarém. A última atualização foi registrado na quarta (13), com a imunização de pessoas com 60 anos e mais, fechando o dia com  a aplicação de 1.028 em idosos e mais 172 doses aplicadas nas UBS’S, chegando a esgotar as 980 doses nos pontos, com ajuda de doses extras das UBS’. Já foram recebidas mais de 50 mil doses de vacinas atendendo os quatro cantos da cidade, seja no planalto, na várzea e comunidades mais isoladas com o objetivo de alcançar toda a população.

O portal da transparência é o meio de comunicação virtual que esclarece sobre dados e investimentos realizados durante a situação pandêmica na cidade e mesmo sendo alimentado com frequência, o quantitativo é muito grande e fica impossibilitada a atualização em tempo real. Mas a equipe responsável continua acelerando na publicidade e informa toda a população sobre a realidade atual da saúde. Apesar de todo trabalho de combate à covid 19, tratamento, monitoramento, investimento e fiscalizações ainda são primordiais seguir as regras iniciais de isolamento social, as medidas de higiene e de etiqueta social, lavando as mãos, usando álcool em gel e máscaras, e só sair de casa se necessário. E se for vacinar levar os documentos necessários como CPF, cartão SUS e carteira de vacinação.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *