Cerca de 3 mil ocorrências de falta de energia por causa de pipas são registradas no Pará

A Equatorial Energia Pará já contabilizou cerca de 3 mil ocorrências de falta de energia motivadas por pipas que entraram em contato com a rede elétrica.Um levantamento feito da empresa mostra que a Região Metropolitana de Belém, foi a que registrou o maior número, com 780 casos, um aumento de 62% em relação ao mesmo período do ano passado. Na lista também estar Castanhal, com 484 casos, e Santarém, no oeste do Pará, com 364 casos contabilizados.

O gerente de Operação da empresa, Luís Felipe Leal, alerta que o mês de junho começou com grandes ocorrências:

“Só nesses primeiros dias já tivemos quase 300 situações na rede em função de pipas. No último sábado, por exemplo, ficamos com trechos do Utinga, Marituba, Benevides, Mosqueiro, Santa Izabel, Outeiro, Icoaraci e áreas da Augusto Montenegro momentaneamente sem energia por causa de uma pipa que se enroscou na subestação que atende essas localidades. Foram 375 mil clientes que ficaram sem energia”, relata o gerente.

Os cuidados com a brincadeira não podem ser deixados de lado, como soltar pipas distante da rede elétrica e jamais resgatar o papagaio da rede, caso fique engatada. As linhas de cerol também são um perigo ao entrar em contato com a fiação elétrica, pois a mistura de cola com vidro moído, e em alguns casos até mesmo com pó de ferro, pode provocar curto-circuito e romper cabos energizados. Além disso, o risco de acidentes com cortes, sobretudo, nas pessoas que circulam em motocicletas ou bicicletas é muito grande.

ALERTA MÁXIMO

A orientação que a distribuidora alerta estar relacionada às suas subestações de energia, que são áreas altamente restritas e somente pessoas autorizadas podem entrar.

“Já tivemos casos de pessoas entrarem em subestações para pegar pipas e acabaram se acidentando. Então a gente faz esse alerta para que jamais ninguém entrem em uma subestação, pois o perigo é muito grande para quem não é habilitado e um acidente pode ser fatal”, explica o executivo de segurança Alex Fernandes.

ORIENTAÇÕES:

  • Ninguém deve resgatar uma pipa enroscada na rede, pois além de causar desligamento de energia, o acidente pode gerar vítimas fatais. A recomendação sempre é brincar em espaços abertos, em que não exista nenhum cabo de energia.
  • Evite soltar pipas em canteiros centrais das ruas e locais em que existe fluxo de veículos e não utilize “rabiolas”, pois elas podem enroscar nos fios elétricos, podendo ocasionar choque.
  • Jamais utilize cerol, linha “chilena” ou papel alumínio na confecção da pipa, pois estes materiais podem provocar curtos-circuitos e colocam em risco à vida de quem brinca e de pessoas que circulam pelo local.

Por  Diene Moura

RG15/O Impacto com informações Equatorial Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *