Lembrando a saudosa poetisa Maria da Glória pelo dia das mães

Por José Ronaldo Dias Campos*

Assim era a minha saudosa mãe, professora e poetisa Maria da Glória Dias Campos: 1) leonina à frente do seu tempo; 2) líder inconteste em todas as atividades que exercia; 3) documentava em verso e prosa todos os acontecimentos ao seu alcance; 4) mestra por excelência: fazia uma criança ler e escrever (alfabetizava) em curto espaço de tempo, com técnica singular; 5) vaidosa, sincera, honesta, independente, sábia e destemida.

Poema da lavra da poetisa santarena Maria da Glória Dias Campos, falecida próximo a completar 87 anos, gravado em sua lápide.

Meu último adeus

Aos parentes e amigos…
Aos ex-alunos também!
Hoje vim me despedir,
Pois parto para o além.

Não pensem levar tristezas…
Há muito eu já esperava;
Meus filhos ficam criados,
Vou feliz e conformada !

A todos o meu adeus !
Até o juízo final …
Vim da terra e vou pra terra,
Pois só a alma é imortal !
Adeus!

O Impacto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.