Suspeito de furtar carregador de bateria morre após sessão de tortura

Dois suspeitos de furtar um carregador de bateria de uma empresa foram torturados com choques elétricos, supostamente pelo proprietário e dois funcionários. Uma das vítimas não resistiu aos ferimentos e morreu.

O crime aconteceu na noite dessa segunda-feira (27/6), por volta das 22h, em Araxá, no Triângulo Mineiro. Os dois funcionários da empresa foram presos em flagrante. Já o proprietário está foragido.

Segundo a Polícia Militar (PM), uma viatura foi solicitada a comparecer na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Araxá, onde deram entrada dois homens com lesões e queimaduras. Os próprios funcionários que teriam participado da tortura socorreram as vítimas.

O mais novo, de 31 anos, chegou à UPA sem sinais vitais. O mais velho, de 37, estava consciente e deu sua versão à PM. Conforme o registro, ele e o rapaz que morreu foram abordados por três indivíduos em um veículo e levados para um galpão, onde teriam sido torturados com choque da rede elétrica.

Conforme o boletim de ocorrência da Polícia Militar, os suspeitos questionaram sobre um carregador de bateria que teria sido furtado pelas vítimas. Posteriormente, iniciaram os choques elétricos.

Patrão queria dar um susto

À Polícia Militar, os suspeitos disseram que foram chamados pelo patrão para dar um um susto nas vítimas. O dono da empresa desconfiava que a dupla torturada teria furtado o carregador de bateria.

A reportagem questionou a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) sobre o andamento das investigações e se os funcionários foram encaminhados para o sistema prisional, mas até o momento não obteve resposta.

Fonte: Correio Braziliense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.