Comandante do Tático alerta: “Pelo menos um assalto por dia é registrado em Santarém”

Comandante do Tático, Ten Wilton Chaves

“Ultimamente a gente tem passado grande parte do nosso tempo no Presídio do Cucurunã”, esta afirmação do Tenente Wilton Chaves, comandante do Grupo Tático em Santarém, reflete a ansiedade que cerca os detentos neste final de ano. Como se não bastasse, a cada final de ano, lojas cheias, comércio em alta, também redobram os cuidados com a segurança pública. A equipe do RG 15/ O Impacto esteve com o comandante do Tático em Santarém, que falou da ação do Comando Especial neste ano que se finda.

RG 15/ O Impacto- Tenente, o senhor sabe que neste final de ano também aumentam os assaltos, a violência. Aumenta também a preocupação com a segurança pública?

Tenente Wilton- Com certeza, nós sabemos que pagamento de Funcionário público, de 13º salário, faz gerar uma circulação maior de dinheiro. Por isso estamos com um esquema diferenciado. Em Santarém, o policiamento ordinário do 3º BPM está reforçado e aqui no Tático estamos com esquema de prontidão diariamente.

RG 15/ O Impacto- Como está sendo feito o policiamento na área do comércio, em Santarém?

Tenente Wilton- Na área do comércio fazemos ronda o dia todo,  desde o horário em que abrem as lojas até o fechamento.

RG 15/ O Impacto- E quanto as rebeliões, no presídio do Cucurunã e na Funcap, o Tático está controlando?

Tenente Wilton- Ultimamente estamos passando boa parte de nossos dias dentro do Presídio, justamente para controlar estas rebeliões. Além da fuga recente de detentos, ainda teve uma tentativa de pegar um agente penitenciário como refém, mas tudo foi contornado, em ação conjunta da direção do presídio com o Grupo Tático.

RG 15/ O Impacto- A que o senhor atribui tantas rebeliões, tanto no Presídio quanto na Funcap?

Tenente Wilton- Neste final de ano, muitos detentos querem passar o final de ano com a família, porém não tem o seu benefício de indulto aprovado pela justiça. Conclusão; ficam desesperados , querendo sair, mas devido a justiça avaliar negativamente, por conta do comportamento irregular dentro do presídio, o detento tem esse benefício negado.

Por: Carlos Cruz

Deixe seu comentário aqui: