Polícia prende Ex-Vereador acusado de integrar quadrilha do INSS

Ex vereador Brás Viana

A ponta do iceberg de uma ação criminosa que durante muitos anos penalizou aposentados no município de Itaituba pode estar sendo revelada agora com a prisão do ex-Vereador e funcionário do INSS, Brás Viana, em uma operação da Polícia Civil comandada pelo delegado José Bezerra, que na manhã de sábado, dia 05, prendeu, ainda, o funcionário público municipal cedido ao Estado, Walterlon Paiva.

O esquema, de acordo com a Polícia, funcionava da seguinte forma: O casal Roberta e Cleiton, donos da C&R Financeira, fazia um empréstimo consignado em nome de determinada pessoa, posteriormente os iam à Delegacia e com a ação facilitada pelo funcionário Walterlon Paiva, obtinham um falso Boletim de Ocorrência (BO) onde constava a perda dos documentos do dono(a) do empréstimo e o dinheiro não era liberado.

Com o documento em mãos eles faziam um novo empréstimo e como o esquema era bem montado eles a vítima precisava pagar o primeiro empréstimo numa trama bem urdida que ao final acabavam beneficiando  os acusados.

Segundo o delegado José Bezerra, a investigação feita de modo rigorosa demandou tempo, mas o suficiente para conseguir juntar elementos que incriminam os acusados.

O Delegado enfatiza que nos meses de outubro e novembro do ano passado, o registro de BO com denúncias de empréstimos falsos era elevado, mas tudo maquiado pela quadrilha que o delegado ainda esta investigando para chegar a outras pessoas que também podem estar sendo beneficiados.

No sábado pela manhã, dia 05, foram presos o ex-vereador Brás Viana, que é um dos mais antigos funcionários do INSS de Itaituba e; Walterlon Paiva, que é funcionário da Prefeitura de Itaituba e estava cedido para a Delegacia onde trabalhava na parte do registro de BO

Além da prisão dos acusados, a Polícia apreendeu vários objetos, como CPUS de computadores, pastas com documentos diversos, cartões, etc. Os outros dois acusados, Roberta e Cleiton, se encontravam em Manaus e, segundo a Polícia, já podem ser considerados foragidos da Justiça e devem ser presos a qualquer momento.

O ex-Vereador e o funcionário público tiveram a prisão preventiva decretada por cinco dias, podendo ser prorrogada de acordou com o andamento das investigações. Mas a Polícia considera que há indícios que fortalecem as acusações contra os acusados.

Por: Nazareno Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *