MP denuncia professor por assédio sexual a aluna de 13 anos

Um professor de matemática foi denunciado pelo Ministério Público do Rio por assédio sexual. Segundo a denúncia, da 20ª Promotoria de Justiça, a vítima é uma aluna de 13 anos, da Escola municipal Rubens de Farias Neves, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Ela teria sido assediada pelo menos quatro vezes. Procurada pelo G1, a Secretaria municipal de Educação ainda não se pronunciou sobre o assunto.

A aluna conta que o professor a chamou para ir até sua casa quando sua esposa não estivesse. Diante da recusa, no dia seguinte, ele pediu que a menina faltasse ao último tempo de aula para acompanhá-lo até sua residência, novamente sem sucesso. Insistente, o professor conseguiu o número do telefone celular da estudante e, mais uma vez, tentou convencê-la a encontrá-lo clandestinamente. Mas, assustada, ela já havia contado o ocorrido aos pais e, na ligação seguinte, gravou a conversa. Depois dos episódios, os pais decidiram trocá-la de escola.

“Em vez de se dedicar ao engrandecimento intelectual de seus pequenos alunos, o denunciado – um marmanjo de trinta anos de idade, à época – preferiu se valer de sua inegável ascendência, decorrente da qualidade de professor, para intentar se aproveitar sexualmente de uma menina de treze anos de idade, felizmente sem sucesso”, diz o promotor Marcus Vinicius da Costa Moraes Leite, ressaltando que, o inquérito afirma que o professor segue dando aula normalmente, expondo “outros alunos a severíssimo risco”.

Professora condenada a 12 anos por abuso
Na terça-feira (15), a professora Cristiane Barreiras, presa em outubro do ano passado acusada de abusar de uma aluna de 13 anos, deixou o presídio de Bangu, na Zona Oeste do Rio. Ela estava presa desde outubro.

Em janeiro ela foi condenada a 12 anos de prisão pelo crime. Na época da prisão, ela e a aluna declararam estarem apaixonadas. A professora foi presa depois de a mãe registrar na polícia o desaparecimento da filha, que não voltava para casa há três dias. Ela estava em um motel com a educadora.

Do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *