Governo retoma área para implantação de centro florestal em Juruti

Área onde será implantado o 1º Centro Tecnológico Florestal paraense

O governo do Pará instalou na quinta-feira (11) placas nas entradas principais da gleba Curumucuri, a 50 quilômetros de Juruti, município do oeste do Estado, indicando a implantação do primeiro centro tecnológico florestal paraense. Nos últimos anos, a área foi alvo de madeireiros e posseiros ilegais, mas agora foi retomada pelo Estado. A partir da construção do centro, beneficiará centenas de comunidades, instituições de ensino e pesquisa, além de empresas do setor.

A desocupação da área está sendo realizada pela Operação Mamuru, coordenada pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal do Pará (Ideflor), em parceria com órgãos de meio ambiente e segurança pública do Pará. De acordo com o coordenador da operação, Pedro Bernardo, “os objetivos da ação estão sendo alcançados e a instalação das placas representa a retomada da área pelo governo”.

Segundo ele, as placas indicam o decreto de criação do centro, publicado em 21 de junho deste ano no Diário Oficial do Estado, e informam a todos que a floresta é monitorada por sistema via satélite. Uma das placas está localizada no KM-43 da rodovia PA-192, onde madeireiros ilegais haviam construído uma porteira, a fim de proibir o acesso ao local. A outra está instalada na entrada norte do centro de treinamento, próximo à sede da empresa Alcoa.

Operação – A retomada da gleba ocorreu de forma pacífica. Desde o último sábado (06), equipes do Batalhão de Polícia Ambiental realizam incursões na mata, averiguando irregularidades identificadas pelo sistema de monitoramento do Ideflor. Ao longo desta semana, agentes dos demais órgãos que participam da operação também realizaram buscas por serrarias móveis na floresta e posseiros. Até esta quinta-feira dois homens haviam sido autuados pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e indiciados pela Polícia Civil por crime ambiental, por desmatarem a área onde estavam instalados e por porte ilegal de motoserra.

A fiscalização prossegue em outras áreas identificadas pelo satélite de monitoramento florestal. As equipes do BPA também fazem rondas de moto pelos ramais da gleba, a fim de assegurar a desocupação da área. Nesta terça, durante a ronda, mais uma motoserra foi apreendida. O coordenador da operação informou que outras incursões serão realizadas na mata.

A operação é coordenada pelo Ideflor, em parceria com a Delegacia Estadual de Meio Ambiente (Dema), Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), Polícia Civil e Instituto de Perícias Científicas Renato Chaves. Também participam da ação a Casa Militar, Ministério Público Estadual (MPE) e Procuradoria Geral do Estado (PGE).

O centro de treinamento de manejo florestal do Estado, que está na gleba Curumucuri, faz parte do conjunto de cinco glebas conhecido como Mamuru-Arapiuns. O nome faz referência aos dois rios que cercam a região. Além do centro, as outras áreas do complexo estão sendo destinadas para assentamentos, sob a coordenação do Iterpa, e concessões florestais do Estado, por intermédio do Ideflor.

Fonte: RG 15/O Impacto e Thiago Melo/Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *