UFOPA inicia semestre letivo com prédio novo

Aula na UFOPA

A Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) deu início ontem, dia 22 de agosto, ao segundo semestre letivo, com recepção aberta à comunidade acadêmica, realizada no novo prédio da universidade, situado na entrada do Campus Tapajós, bairro do Salé, em Santarém (PA). Com 20 salas de aula e dois auditórios, o novo prédio abrigará, neste semestre, várias turmas de alunos veteranos, além dos 1.200 alunos que ingressaram este ano na Universidade e que agora passarão a integrar os institutos temáticos.

“É um dia muito especial para todos nós, não só pelo início do semestre letivo, como também por estarmos disponibilizando novas instalações, em fase final de conclusão, para nosso alunado”, afirmou o reitor da UFOPA, Prof. José Seixas Lourenço, durante a recepção realizada no auditório do novo prédio. “Agora os alunos passarão pela Formação Interdisciplinar II, nos institutos temáticos da UFOPA, onde terão a oportunidade de iniciar, de fato, seus cursos, dentro do novo modelo acadêmico adotado pela universidade”.

Realizado nos três turnos de funcionamento da universidade – manhã, tarde e noite –, o encontro com a comunidade acadêmica foi coordenado pelo pró-reitor de Ensino, Prof. José Oliveira Aquino, que fez menção especial aos alunos de 2011 que obtiveram os melhores resultados na Formação Interdisciplinar 1: Jorge Kysnney Santos Kamassury, Jozinei Ferreira Lopes e Diny Silvane Teixeira e Silva, todos alunos que optaram pelo Instituto de Engenharia e Geociências (IEG).

Também ficaram em primeiro lugar na classificação por institutos as alunas Diana Coelho de Amorim, do Instituto de Biodiversidade e Florestas (IBEF); Nayara Ramires Mota de Sousa, do Instituto de Ciências da Educação (ICED); Suelen Maria Costa Monteiro, do Instituto de Ciências da Sociedade (ICS); e Djanira Rodrigues Leão, do Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas (ICTA).

Novo Prédio – “Esse é o primeiro prédio realmente construído para essa instituição”, afirmou o pró-reitor de Ensino, José Oliveira Aquino, durante o encontro com os estudantes. “Ele é um indicativo de como a infraestrutura dessa universidade está sendo planejada”. Construído para abrigar o Centro de Formação Interdisciplinar (CFI) – unidade acadêmica responsável por ministrar, no primeiro semestre letivo, a Formação Interdisciplinar I para todos os alunos que ingressam na universidade – o prédio abrigará também, nesse segundo semestre, várias turmas de alunos de graduação e pós-graduação dos institutos.

Segundo informações fornecidas pela Pró-Reitoria de Ensino (PROEN), os alunos oriundos do Centro de Formação Interdisciplinar (CFI) – que ingressaram este ano na UFOPA e cursaram o primeiro semestre letivo, no Amazônia Boulevard – passarão a estudar no novo prédio, nas salas situadas no andar superior, onde também estão localizados os dois auditórios. No andar térreo, ficarão os alunos veteranos dos cursos de Biologia, Matemática, Física Ambiental e Sistemas de Informação, além dos discentes do Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais da Amazônia (PGRNA). Outra melhoria, que deverá ser concluída ainda esta semana, é o asfaltamento, pela Prefeitura Municipal de Santarém, do trecho da Av. Raimundo Fona, que dá acesso à entrada do Campus Tapajós.

Desafios – Durante o encontro, o reitor da UFOPA fez uma apresentação sobre a situação atual da universidade, que já possui mais de seis mil alunos, incluindo os de graduação e pós-graduação, 228 técnicos administrativos e 223 professores, sendo 137 mestres e 82 doutores. “Esses números são importantes porque mostram os avanços alcançados pela universidade em apenas um ano de existência”, afirmou o reitor. “Temos uma estrutura acadêmica sólida, baseada na interdisciplinaridade e na educação continuada, com uma diversidade significativa de cursos e corpo de servidores bem qualificado”, afirmou Seixas Lourenço.

O reitor destacou o empenho da Administração Superior no sentido de consolidar a infraestrutura dos campi Rondon e Tapajós, em Santarém. “Estamos fazendo investimentos consideráveis, na ordem de 30 milhões de reais, para consolidar os dois campi de Santarém”. Ele falou ainda sobre o desafio de consolidar a universidade nos municípios polos do Oeste do Pará, onde também serão construídos campus da UFOPA: Itaituba, Juruti, Oriximiná, Óbidos, Alenquer e Monte Alegre. “Desde o início essa é uma universidade que se propõe a ser multicâmpus. Nesse sentido, a gente se propõe, ao longo dos próximos dois anos, a consolidar os campi nos outros municípios do Oeste do Pará, onde já temos uma forte atuação por meio do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor)”.

Fonte: Ascom/UFOPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *