'Natureza prepara a mulher para ser mãe dos 18 aos 20 anos', diz médico

Na sexta-feira (26), o ginecologista José Bento tirou mais dúvidas sobre fertilidade e gravidez.

Ele destacou a importância de parar de fumar, tomar ácido fólico, consultar um especialista e fazer bastante sexo para quem quer ter filho.

Alguns antidepressivos, como a fluoxetina, podem ser usados inclusive durante a gestação, período em que a mulher oscila muito nas taxas hormonais, o que pode aumentar as chances de depressão pós-parto, que atinge de 10% a 15% das mães. O ômega 3 (presente na semente de linhaça e em peixes como salmão, sardinha e atum, entre outros alimentos) também diminui as chances do problema.

Segundo José Bento, a natureza prepara a mulher para engravidar dos 18 aos 20 anos de idade. Miomas, endometriose, câncer de mama ou endométrio, infecções e cistos no ovário podem aparecer mais em quem não tem filhos, disse o médico. Ele citou os exames que podem ser feitos para avaliar a fertilidade da paciente.

Depois dos 40 anos, é mais difícil engravidar se for o primeiro filho. E, se essa tentativa ultrapassar os dois anos, fica ainda mais complicado. Até os 35 anos, a mulher pode esperar até um ano. Depois disso, o ideal é procurar um médico em um prazo de seis meses se não houver fecundação, recomendou o ginecologista.

De acordo com ele, quanto maior a idade da mãe, maiores as chances de problemas no feto. Após os 40 anos, o risco de um bebê nascer com síndrome de Down é de 1 para 70 ou 80, afirmou José Bento. Depois dos 45 anos, esse número sobe para 1 a cada 20.

A quantidade de abortos espontâneos também aumenta: a partir dos 40 anos, a probabilidade é de 30%, o que vai para 40% depois dos 45 anos.

Não fumar, não beber, fazer atividade física moderada, manter um peso adequado e seguir uma dieta baseada em alimentos integrais são dicas fundamentais para quem quer engravidar.

O médico falou, ainda, que a responsabilidade pela infertilidade é 30% do homem, 30% da mulher e 40% dos dois juntos. Anabolizantes também podem diminuir as chances de uma gestação.

José Bento comentou também sobre laqueadura e a possibilidade de reversão do procedimento. Na sequência, esclareceu dúvidas sobre infertilidade masculina, cujas duas maiores causas são varicocele e traumas físicos.

Quanto mais uma mulher amamenta, menores são as chances de ela engravidar, destacou José Bento – mas isso não é impossível. Nessa fase, podem-se usar camisinha, espermicida ou pílulas especiais.

Do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *