Prefeito tenta agredir Vereador

Henrique Costa tentou convencer, mas não conseguiu

Para o prefeito Henrique Costa (PT) a sessão da Câmara Municipal de Juruti no dia 31 de agosto seria uma data histórica  para a política de Juruti, pois ele iria à Casa Legislativa e empurraria goela abaixo todos os seus números, sem ser contestado ou questionado sobre os valores, que de forma nervosa tentava justificar para os vereadores os gastos absurdos que promoveu desde  2007, ano que começou sua prestação de contas.

Henrique Costa expôs sua prestação de contas atrapalhado com os números. O Prefeito falou em primeiro momento, enfatizando que logo em seguida seria sabatinado “responderia a altura de qualquer pergunta que lhe fosse dirigida”. Para quem não sabe, esta á a frase que já faz parte de seu discurso todas às vezes em que  vai a Câmara.

Henrique Costa declarou que o Município entrou 2011 devendo 22 milhões de reais, o que deixou todos surpresos. Em suas apresentação lembrou que em 2008 Juruti arrecadou 96 milhões de reais, tinha no orçamento 87 milhões de reais, então, pediu autorização da Câmara para utilizar os 9 milhões excedente, porém, gastou tudo e ainda endividou o Município em mais 5 milhões de reais para o ano subseqüente.

Vereador Glauber escapou da ira de Henrique Costa

O Prefeito começou a ser questionado pelos vereadores de oposição, que diante de tantos números em obras e serviços expressos pelo gestor, como investimento, o vereador Izael Amaral indagou onde foram investidos 7 milhões de reais em obras na educação no ano de 2007, pois não sabia onde estavam essas obras feitas nesse ano. Porém, o Prefeito informou esses valores para o SIOPE. Henrique Costa desconversou e disse que tinha muitas obras na educação, mas não esclareceu quais foram realizadas no ano de 2007.

O vereador Glauber Andrade quis saber do gestor municipal se o seu governo realmente era idôneo e não tinha nenhum envolvimento com corrupção, como afirmava. Glauber perguntou, então, como justificava o pagamento de quase 5 mil reais para um determinado cidadão menor de idade que teria recebido esse valor pelos serviços de arbitragem de futebol, apresentando o recibo ao Prefeito, assinado supostamente pelo jovem. “Esse rapaz nunca trabalhou para a Prefeitura, nunca recebeu um centavo de qualquer prestação de trabalho”, disse o vereador Glauber, sendo que só foi descoberto que o adolescente era funcionário fantasma, porque seu pai, tenente aposentado da Polícia Militar, ao colocar seu filho como seu dependente na sua declaração de Imposto de Renda, caiu na malha fina. Ele procurou a Receita Federal e descobriu a fraude. Ao procurar a Prefeitura para esclarecimento, os recibos foram apresentados e entregues a ele. O Militar disse que alguém assinou pelo menor e recebeu o dinheiro. O vereador Glauber, então, questionou a honestidade do governo Henrique e pediu explicação ao mesmo.

Tentativa de agressão – O prefeito Henrique Costa não respondeu ao questionamento feito pelo vereador Glauber Andrade. Em compensação, bastante nervoso e perdendo a postura, saiu da tribuna e tentou agredir fisicamente o Vereador. Fato que foi contido pelos seguranças da Câmara Municipal. Por sua vez, o vereador Erodice Brelaz questionou com o gestor municipal sobre os recursos que ele recebeu de convênios estaduais não citados pelo Prefeito em sua apresentação. Henrique não soube responder que convênios tinha recebido. O vereador Erodice, então, leu todos os recursos e seus respectivos valores recebidos pelo Prefeito de convênios, inclusive do governo Simão Jatene. O Vereador concluiu apresentando ao Prefeito cópia de uma carta carimbada e assinada em 2005 pelo gestor endereçada ao engenheiro Celso Couceiro, dono da empresa que ganhou licitação para construir vários microssistemas de abastecimento de água no governo do ex-prefeito Isaias Batista e quatro ficaram para serem construídos no governo de Henrique Costa. Na carta, Henrique ordena que o engenheiro procure o senhor Cleverson Mafra, que indicaria todos os funcionários que a firma de Couceiro deveria empregar e ao lado pedia que mandasse ao mesmo 10 mil reais para ele (Prefeito). No final, ameaçava, deixando claro que o engenheiro não esquecesse de quem mandava no Município. Em sua resposta mais uma vez Henrique Costa desconversou, alegando apenas que a ordem para o Couceiro empregar as indicações de seu companheiro Cleverson, hoje presidente da Câmara, era pelo fato de como governo queria valorizar a mão de obra local. Quanto aos 10 mil reais, se omitiu de responder.

O vereador Carlos Alberto começou seu questionamento fazendo alusão à farsa do Prefeito em tentar enganar a população com seus números e respostas, ao que era lhe perguntado. Carlos Alberto afirmou que o prefeito Henrique falava grosso com a empresa do Couceiro e queria valorizar, na época, a mão de obra local, porém, hoje fala fino com a Millenium, Saneng e outras empreiteiras. “A Escola Zelinda tem mais de cem operários, porém, somente dois são de Juruti. O nosso povo está vivendo numa recessão de emprego. Cadê sua valorização de mão de obra?”. O Vereador questionou os valores de 1,45 milhões de reais alegados pelo Prefeito que foram gastos na recuperação de 60 km de ramais vicinais, o que seria 37 mil reais cada km. “Um indício de superfaturamento. Esse valor é um absurdo”, informou Carlos Alberto. O Prefeito, perdido, respondeu que a obra encareceu por ter sido feita com drenagem, arrancando risos dos presentes, porque todo mundo sabe que nas vicinais não há drenagem.

Carlos Alberto finalizou suas indagações perguntando ao Prefeito se sua arrecadação, por conta dos salários dele e de sua esposa seriam de 1,1 mil (hum milhão e cem mil reais) até final do próximo ano de seu governo. O Prefeito respondeu que sim. Então, o Vereador perguntou quanto era o valor gasto pelo Prefeito na construção de sua mansão? Henrique Costa respondeu que 1 milhão de reais. O Vereador perguntou se ele (Prefeito) havia comprado o Supermercado Bom Demais, a Casa Lotérica, um terreno próximo a Câmara, outro no são Francisco e se a construção sobre o prédio da lotérica era dele. Henrique Costa, um a um foi respondendo que sim. O Prefeito, então, pediu ao presidente da Câmara que interrompesse as perguntas, pedido que foi aceito pelo presidente.

Carlos Alberto disse que Henrique Costa ainda tinha outros bens, como automóveis equipamentos de som, outras casas, distribuidora de bebidas e ainda tinha sociedade em algumas empresas. “Toda e qualquer criança em Juruti achincalha de seu patrimônio e de seus secretários, Prefeito. O que o senhor adquiriu não é compatível com o que ganha e isso saiu da sua própria boca, hoje aqui”, disse Carlos Alberto. Sob a alegação de estar fugindo do objetivo da sessão, o presidente da Casa, vereador Cleverson Mafra, deu por encerrado os trabalhos naquele dia.

O prefeito Henrique costa recebeu durante seis anos e seis meses de governo aproximadamente 350 milhões de reais, entre impostos locais, repasses constitucionais e convênios. Esses valores correspondem a cinco vezes mais o que todos os outros prefeitos juntos que governaram Juruti receberam. Acontecendo um fato histórico no ano de 2008, quando o orçamento do Prefeito era para investir 85 milhões de reais e o Município por conta da implantação do Projeto Juruti arrecadou 96 milhões de reais. Este ano, é grande o risco de haver paralisação geral nos fornecimentos para a Prefeitura, o salário de funcionários está sendo efetuado com atraso, alguns fornecedores estão deixando de atender a Prefeitura por falta de pagamento.  Pois o Município, segundo o próprio Prefeito, já entrou o ano devendo 22 milhões de reais. Há suspeitas de que essa dívida seja fruto de desvio de dinheiro. Na prestação de contas do Prefeito, os valores que ele informava não eram compatíveis com os que ele informava para o SIOPES e nem com um documento enviado no ano de 2009 aos vereadores assinado pelo senhor Brício Lima, então superintendente de relações comunitárias da ALCOA, contendo os valores que a Mineradora e suas contratadas recolheram em impostos para o Município. Juruti recebeu ainda dessa empresa Mineradora investimentos em obras executadas no Município, no valor de 50 milhões de reais, da Agenda Positiva.

Por: Carlos Cruz

Um comentário em “Prefeito tenta agredir Vereador

  • 17 de setembro de 2011 em 19:46
    Permalink

    Esses dois devem receber dinheiro do povo para puxar saco do prefeito. Impacto continua assim denunciada as irregularidades desse prefeitinho

    Resposta
    • 28 de setembro de 2011 em 13:11
      Permalink

      Olha esse papo de prestar conta e furada, por que quém deve não teme! pode ter certeza que as provas que ele aprensentou foi tudo forjada mais tudo bém 2012 não te pertence mais excelentissimo…

      Resposta
    • 19 de setembro de 2011 em 14:02
      Permalink

      Esse Carlos, deve ser o Carlos Alberto – vereador, dá pra entender, é um semi-analfabeto mesmo!

      Resposta
  • 17 de setembro de 2011 em 19:37
    Permalink

    Claudio tu tbm e puxa saco, prestacao atencao na historia do jornal. tu es outro puxa saco. Deve receber dinheiro do povo. outro babaca

    Resposta
  • 17 de setembro de 2011 em 19:35
    Permalink

    Joao tu es tao puxa saco, que nao ler que o jornal colocou o nome do vereador certo. Puxa saco. babaca

    Resposta
  • 17 de setembro de 2011 em 19:32
    Permalink

    Joao de Jesus, tu nao tem nada de Jesus, tu es Joao do Diabo. tu deve recber da preitura es puxa saco. O jormal e o melhor da regiao, publica a verdade vc nao aprecia o jornal porque ele publica materia do teu prefeito. Puxa saco

    Resposta
  • 16 de setembro de 2011 em 18:25
    Permalink

    Essa materia é materia política para pelo pessoal do Isaias Batista. Quem não lembra que desde o governo de Isaias Batista, este jornal sempre fez materia pro Isaias e nas eleiçoes que Henrique participou, o jornal tentou de todas as formas trabalhar para que Henrique não fosse eleito. Se ele não tivesse feito um bom governo, não teria sido re-eleito e elegido no municipio o Dep. José Maria.

    Resposta
  • 15 de setembro de 2011 em 21:36
    Permalink

    Mais uma vez o Impacto cai no descrédito. Na verdade foi Glauber que tentou agredir o prefeito de Juruti e partiu pra porrada. Muita coisa que está publicado aí não conduz com a realidade. É matéria montada!

    Resposta
    • 18 de setembro de 2011 em 17:45
      Permalink

      esse jornalzinho é puxa saco do isaias batista, pois todos sabemos que foi no governo do Henrique Costa (PT) que a nossa Juruti veio saber o que é atuação do governo, e tudo o que prefeito teve que fazer foi aprovado anteriormente pela Câmara Municipal, ou seja os vereadores sempre souberam o que estava acontecendo!!!!!!!!!!!! é o José Dias é puxa saco do isaias batista!!!!!!!!

      Resposta
  • 15 de setembro de 2011 em 18:54
    Permalink

    na hora do juiso final, somente DEUS fara seu julgamento. que canalia. será q ele estudou na mesma escola q o prefito de MONTE ALEGRE no oeste paraense. JARDEL VASCONCELOS

    Resposta
  • 15 de setembro de 2011 em 18:21
    Permalink

    CARAFO, o prefeito durante se lembrar desse dia nunca mais vai a Camâra pensava que ia enganar os vereadores, por sua vez o vereador Carlos Alberto fez o prfeito confessar que era corrupto e que os seus patrimonios eram maiores que o que ele ganhara. nesse dia eu ví um vereador de verdade.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *