Eleitores protestam em votações de projetos para aumento de vereadores

Várias cidades do Paraná votaram projetos de aumento do número de vereadores na noite de segunda-feira (19). Os eleitores demostraram interesse, participaram das sessões, protestaram e em alguns municípios os parlamentares atenderam aos pedidos.

A sessão realizada na Câmara Municipal de Francisco Beltrão, no Sudoeste do Paraná, em que o projeto de lei para aumentar de dez para 15 o número de vereadores do município seria votado, foi interrompida três vezes. Estudantes e moradores fizeram protesto dentro do plenário e a polícia foi chamada para contê-los.

A votação foi suspensa e ainda não foi divulgada a data em que será retomada.

Na cidade de Pato Branco, também na região Sudoeste, a primeira votação do projeto que visa aumentar de dez para 12 o número de vereadores teve o resultado de nove votos a favor e apenas um contra. O vereador Laurindo Cesa (PSDB) foi o único contrário à proposta. Em dez dias, o projeto deve ser votado novamente.

No Norte do estado, em Sarandi, antes mesmo do início da sessão que votaria o aumento de dez para 13 políticos na Câmara Municipal, o projeto foi retirado da pauta. Os eleitores que compareceram à Câmara aplaudiram a decisão.

Já em Mandaguari, os vereadores não conseguiram nem o mínimo de três assinaturas necessárias para que o projeto pudesse ser apresentando. A cidade continua com nove cadeiras no legislativo.

O projeto que aumentava o número de vereadores de nove para 13 legisladores em Marialva havia sido aprovado em março deste ano. Mas com a pressão popular, a Câmara decidiu voltar atrás. A proposta de alteração da lei ainda precisa ser votada em segunda discussão.

Em Prudentópolis, a primeira discussão para aumentar de dez para 13 parlamentares foi na noite de segunda e a maioria votou a favor. Em dez dias, o projeto será votado outra vez.

Na manhã desta terça-feira (20), em Ibiporã, cidade vizinha a Londrina, os vereadores votam a proposta de aumento de nove para 11 legisladores.

Do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *