Doença misteriosa coloca saúde do Pará em alerta

Um caso suspeito de uma rara doença

Um caso suspeito de uma rara doença, cujos sintomas são semelhantes ao da doença de Creutzefeldt-Jakob, conhecida popularmente como a variação para humanos do ‘Mal da Vaca Louca’, foi registrado no Pará. A vítima é um engenheiro florestal de 45 anos. Há duas semanas o Ministério da Saúde descartou a hipótese de contaminação por carne bovina, mas a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) admite desconhecer a origem da contaminação do paciente.

“É uma doença priônica, da qual ainda não conhecemos o modo com que foi transmitida ao paciente. Sabemos que é uma doença rara, na qual em 80% dos casos o modo de transmissão é desconhecido”, diz a chefe da Divisão de Vigilância da Sespa, Ana Lúcia Ferreira.

Doenças priônicas são males progressivos, de ocorrência imprevisível, quase sempre fatais e que afetam, principalmente, o sistema nervoso central, sem cura e sem possibilidade de tratamento depois de instalada. “É uma doença que vai degenerando o cérebro e para a qual, infelizmente, não há cura”, diz Ana Lúcia Ferreira.

“Ainda é uma doença da qual sabemos pouco e que estamos investigando. Está sendo feita análise genética do paciente, para tentarmos descobrir a origem da contaminação. Mas ainda estamos tateando, porque temos poucos médicos que estejam estudando essas doenças”, diz Ana Lúcia Ferreira.

O caso foi repassado diretamente ao secretário nacional de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa. A informação sobre a suspeita da doença chegou ao conhecimento da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma) no dia 7 de outubro de 2011. Um e-mail notificava sobre um caso suspeito de doença de Creutzfeldt-Jakob. A investigação foi iniciada imediatamente, com o deslocamento de uma equipe até a casa de familiares do paciente.

Fonte: RG 15/O Impacto e DOL

Um comentário em “Doença misteriosa coloca saúde do Pará em alerta

  • 19 de outubro de 2011 em 18:44
    Permalink

    E assim não se sabe qual é a doença….

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *