Universidade Federal do Oeste do Pará completa dois anos de criação

Novo predio do Campus da UFOPA, no bairro do Salé

Situada em Santarém (PA), a Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) completa dois anos de existência no dia 5 de novembro de 2011. Primeira universidade pública federal sediada no interior da Amazônia, a UFOPA tem como objetivo principal a interiorização de atividades acadêmicas de ensino, pesquisa e extensão de qualidade e contextualizadas para a região. A instituição já possui mais de seis mil alunos (5416 de graduação e 611 de pós-graduação), além de 444 servidores concursados, sendo 222 professores (90 doutores e 132 mestres) e 222 técnicos administrativos.

“Temos muito a comemorar nesse segundo ano, porque estamos imprimindo um ritmo bastante forte de consolidação da universidade”, comemora o reitor pro tempore da UFOPA, Prof. Dr. José Seixas Lourenço. “O primeiro grande fruto que colhemos é a consolidação da nossa estrutura acadêmica. O segundo foi ter tido êxito no processo de atração e fixação de recursos humanos, pois não se implanta um modelo acadêmico diferenciado e inovador sem capital humano qualificado”.

Criada pela Lei nº 12.085, de 5 de novembro de 2009, a partir da incorporação das unidades da Universidade Federal do Pará (UFPA) e da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) em Santarém (PA), a UFOPA tem a missão de socializar e produzir conhecimentos, contribuindo para a cidadania, inovação e desenvolvimento na Amazônia. Outro desafio assumido pela instituição é ser referência na formação interdisciplinar, visando a integrar sociedade, natureza e desenvolvimento.

“Primeiro nos preocupamos em atrair e fixar recursos humanos. Agora estamos consolidando a estrutura física da universidade, inclusive com o apoio dos profissionais que contratamos, por meio de concurso público, na definição dos espaços e dos laboratórios. Também estamos sendo bem sucedidos no pleito que temos feito às agências CNPq, Capes e Finep, com relação a bolsas, compra de equipamentos e material bibliográfico”, afirma o reitor.

Reitor Seixas Lourenço faz palestras aos acadêmicos

Com um modelo acadêmico inovador, baseado nos princípios da interdisciplinaridade e da educação continuada, a universidade está estruturada em seis unidades acadêmicas: o Centro de Formação Interdisciplinar (CFI), responsável pela oferta do primeiro semestre, comum a todos os alunos ingressantes na instituição; e cinco institutos temáticos focados em grandes áreas de conhecimento e interesse para a região: Instituto de Biodiversidade e Florestas (IBEF), Instituto de Ciências da Educação (ICED), Instituto de Ciências da Sociedade (ICS), Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas (ICTA) e Instituto de Engenharia e Geociências (IEG).

Além de ofertar mais de 30 cursos de graduação (bacharelados interdisciplinares, licenciaturas integradas e formações graduadas específicas), a UFOPA já possui dez cursos de pós-graduação, sendo três mestrados (Recursos Naturais da Amazônia; Recursos Aquáticos Continentais Amazônicos e Matemática em Rede) e sete especializações (Direitos Humanos e Políticas Públicas; Sociedade, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável na Amazônia; Agroecologia; Jornalismo Científico; Manejo de Florestas Tropicais; Gestão Escolar; Educação Infantil).

A UFOPA foi uma das primeiras universidades do país a optar pelo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) como único critério de acesso, dando fim ao “vestibular”. O expressivo aumento no número de vagas ofertadas, de 300 para 1200, já no processo seletivo de 2011, também é outro fato que merece ser comemorado. Mais 1.200 vagas serão ofertadas para o ano letivo de 2012, contribuindo para a formação de um número cada vez maior de profissionais qualificados na região. Outra inovação é o fato de o aluno fazer a escolha do seu curso ao longo do seu percurso acadêmico, possibilitando assim uma escolha mais consciente da sua futura profissão.

A universidade também avança na implantação da sua infraestrutura. Situado na entrada do Campus Tapajós, o prédio do Centro de Formação Interdisciplinar (CFI) é a primeira edificação construída para atender às demandas da jovem universidade. Com 20 salas de aula e dois auditórios, com capacidade total para 600 pessoas, o prédio está sendo utilizado por diversos segmentos da comunidade acadêmica desde o início do segundo semestre letivo deste ano.

No Campus Rondon, a expectativa é com a finalização das obras do prédio do Instituto de Ciências da Educação (ICED). O prédio terá quatro andares, onde funcionarão as diversas licenciaturas ofertadas pela instituição.  

Mais informações no sítio www.ufopa.edu.br.

UFOPA implanta sistema de gestão de pessoas por competências

Buscar um novo modelo de gestão por competências, na administração pública, é um desafio que requer compromisso de todos os servidores. Na Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) esse desafio foi lançado oficialmente, para a comunidade acadêmica, no dia 31 de outubro de 2011, durante evento de implantação do Sistema de Gestão de Pessoas por Competências (SGPC), realizado no Auditório do Campus Tapajós, em Santarém (PA).

Coordenado pela Pró-Reitoria de Planejamento Institucional (PROPLAN), por meio da Diretoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas (DGDP) e da Coordenadoria de Desempenho e Desenvolvimento (CDD), o SGPC tem como objetivo mapear as competências existentes na instituição para apoiar as estratégias de treinamento e desenvolvimento na área de pessoal.

A iniciativa faz parte do projeto “Gestão de Pessoas com foco em competências: preparando um novo profissional para uma nova Universidade na Amazônia”, elaborado por uma equipe de servidores da PROPLAN. “A UFOPA vem buscando um modelo de gestão focado nas pessoas, na sua valorização quanto seres humanos e no respeito de sua individualidade. Sabemos que pessoas comprometidas e alinhadas aos interesses da instituição são fundamentais para o crescimento e o sucesso de qualquer organização”, afirmou Suelen Monteiro, da CDD, uma das coordenadoras do projeto.

“Nesses dois anos a UFOPA alcançou várias conquistas, e uma delas foi a captação e retenção de recursos humanos, incluindo técnicos e professores. A vinda desses servidores possibilitou a expansão das ações da UFOPA junto à sociedade”, afirmou o pró-reitor de Planejamento Institucional, Aldo Gomes Queiroz, durante a solenidade. “Portanto esse projeto, alinhado ao Plano de Desenvolvimento Institucional, vai criar oportunidades para avançarmos na consolidação da nossa universidade”.

“A gestão por competências é uma determinação do estado brasileiro”, explicou o representante da empresa Unitalentos, João Raimundo Alves dos Santos, que ministrou a palestra “Afinal, o que é gestão por competências?”. Segundo o palestrante, a gestão por competências é a gestão da capacitação orientada para o desenvolvimento do conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias ao desempenho das funções dos servidores, visando ao alcance dos objetivos e metas estratégicas da instituição. “É uma nova proposta de capacitação das pessoas, articulada com as estratégias organizacionais”, explica Santos.

Projeto – O projeto “Gestão de Pessoas com foco em competências: preparando um novo profissional para uma nova Universidade na Amazônia”, da UFOPA, está entre os cinco melhores projetos aprovados no edital do Programa de Fomento da Secretaria de Recursos Humanos (SRH), do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), que selecionou 14 propostas de instituições públicas federais, de um total de 68, voltadas para o fortalecimento de mecanismos, estratégias e iniciativas que contemplem o desenvolvimento e a consolidação da Política Nacional de Desenvolvimento de Pessoal.

Após a liberação do recurso financeiro para a UFOPA, em junho deste ano, a DGDP e a CDD deram início ao processo de contratação da consultoria para auxiliar na implantação do modelo de gestão por competências, tendo como empresa vencedora a Unitalentos. O resultado do procedimento licitatório ocorreu em outubro. “Temos as melhores expectativas frente à execução deste projeto, na crença de poder, futuramente, compartilhar resultados positivos com os demais órgãos da Administração Pública Federal”, comemora Suelen Monteiro.

Fonte: RG 15/O Impacto e Ascom/UFOPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *