Diretor implanta projeto modelo na Penitenciária de Cucurunã

Cel. Valter Santos mostra inovações implantadas na Penitenciária
Cel. Valter Santos mostra inovações implantadas na Penitenciária

A penitenciária agrícola Silvio Hall de Moura, localizada na comunidade do Cucurunã, em Santarém, na administração de seu atual diretor, Coronel PM Valter Santos, tem suas metas apoiadas no trinômio assim constituído: “Educação, trabalho de qualificação profissional e Deus acima de tudo”, citou Cel. Valter. Nesse contexto, muda por completo a concepção de um cenário da Penitenciária que mostrava muros altos  e intransponíveis para quem estivesse dentro, sem condições de um vida melhor.

Criação de porcos feita pelos detentos
Criação de porcos feita pelos detentos

Educação e profissionalização: Professor Alvino, especialista em sistema penal, tem uma frase impactante, porém, real, sobre o tema: “Hoje o preso está contido, amanhã ele estará contigo”.  Esta frase serve como referência do plano modelo que está sendo efetuado com os presos de regime semi-aberto da Colônia Agrícola Silvio Hall de Moura “Cucurunã”. Resultado, segundo o Coronel diretor da Penitenciária, diminuiu bastante o número de detentos (presos) reincidentes, ou seja, que voltam ao caminho do crime, apesar do apoio que recebem atrás das grades. “Isso é bastante significativo. Quando assumimos em 2001, estavam em torno de 80% as reincidências criminais, atualmente reduzimos esses índices para 30%”, disse o Coronel. Na opinião do diretor penal, os projetos que estão em andamento dentro da casa penal e do qual fazem parte os detentos do regime semi-aberto, são parte importante nesse atual projeto de ressocialização, que inclui criação de galinha, patos e picotas (avicultura) feito em parceria com a Avis Pará, além de criação de porcos. “hoje nós temos internos trabalhando em algumas empresas e até na Prefeitura municipal de Santarém”, citou o diretor da casa penal.  E mais importante, existem casos de detentos que cumpriram penas e que agora trabalham nas igrejas, freqüentando cultos. “É muito comum a gente encontrar entre os pastores e demais evangélicos que fazem trabalho aqui dentro comentando que em suas igrejas existem famílias inteiras de ex-detentos que freqüentam cultos e trabalham”, disse Coronel Valter. Além destas iniciativas, existem também parcerias com instituições profissionais, como Sesi, Senai, Senac e outras, reunidas com objetivo de  levar auto-estima a quem por ter usado o livre arbítrio de forma errada, agora paga pelos erros praticados.

Fugas: Após a execução desses projetos de ressocialização, que ajudam a auto-estima, conseqüentemente os resultados são favoráveis, entre eles a diminuição do número de fugas: “Aqui na Penitenciária de Cucurunã nós temos o menor índice de fugas em todo o sistema penal do Estado do Pará”, falou satisfeito Cel. Valter: “E também contamos com o maior índice de alunos em sala de aula. Nós trabalhamos aqui com a qualificação profissional para que o interno seja recebido na sociedade”, destacou o diretor da Penitenciária. “Não só quando assumimos aqui no Cucurunã, mas na Superintendência Penal Estadual, sob o comando do Coronel André que implementou uma nova visão do governo do Estado”, disse Cel. Valter, citando que “estávamos aqui há dezoito anos sem melhoramento no sistema penal; nenhuma vaga havia sido aberta, e atualmente nós estamos com a construção de três casas penais, onde uma delas, de presos provisórios será inaugurada no próximo mês de abril”, informou o diretor.

Profissionais prestam serviços aos presos
Profissionais prestam serviços aos presos

Profissionais prestam serviços: É importante saber que o preso não fica na penitenciária para sempre, e nem é objetivo do sistema penal, muito menos da direção da Penitenciária do Cucurunã que o preso saia pior do que quando entrou. “Ele sai, invariavelmente com mais necessidade, mais aborrecido, se não tivermos tratamento adequado para ele. Esse é o lema da Ong “Viver e Conviver”, que trabalha diretamente com os detentos, desde março de 2012. Saúde mental, educação, formação social e cultural fazem parte das orientações que os componentes da Ong dão aos detentos. Fato é que na Penitenciária do Cucurunã, em parceria com a Secretaria Estadual de Educação, existem 185 alunos matriculados, desde a alfabetização ao ensino médio. Esta semana, o diretor da Penitenciária esteve em contato com a educadora e vice-prefeita Maria José Maia, quando expôs a necessidade de uma parceria com o governo municipal com objetivo de melhor atender aos detentos estudantes.

Internos comandam Rádio Interativa Cristã
Internos comandam Rádio Interativa Cristã

Rádio Interativa Cristã: Diante de todas essas atividades, destaca-se o serviço público espiritual desenvolvido pela Rádio Interativa Cristã, funcionando na capela da Penitenciária. A palavra de Deus para todos os internos: “Nós da rádio, agradecemos a Deus por esse trabalho, pelo apoio dos diretores, incluindo o Pastor Valter, diretor da casa penal”, disse Carlos Alberto Betsel, detento e pregador evangélico, que junto com os obreiros e detentos Getúlio e Eduardo, lembram que Deus existe e nunca abandona, mesmo aqueles que se encontram atrás das grades da Penitenciária. Eis a grande verdade.

Novas instalações: Das três cadeias, uma abrigará presos provisórios, com capacidade para 380 detentos. Duas para abrigar mulheres (cadeia feminina), com capacidade para 88 vagas e outra para abrigar 136 detentas, sendo uma para regime fechado e outra para o provisório.

Construção do Centro de Triagem
Construção do Centro de Triagem

Esperanças em uma nova vida: Por dentro dos muros da Penitenciária de Cucurunã estão muitos homens e mulheres que sonham com a liberdade e mais ainda, a esperança de horizontes melhores e mais vastos. Caso do eletricista Carlos Sérgio, que chegou ao Cucurunã, depois de ser preso no ano de 2009, acusado de tráfico de drogas. “Eu era usuário, depois passei a fazer tráfico de drogas”, disse Carlos Sérgio. Se depender da direção da casa penal, com os projetos de ressocialização, além de toda boa vontade dele em ser um novo homem, o eletricista e mestre de obras Carlos Sérgio em poucos anos pode esquecer que um dia, por ter sido escravo das drogas, acabou entre os muros da Penitenciária de Cucurunã. Junto com eles, muitos Joaquins, Joãos e Pedros, atentos pela oportunidade em conseguir nova vida. De preferência longe dos muros de Cucurunã. É o que a direção da Casa Penal almeja, no trabalho de ressocialização que incansavelmente pratica.

Fonte: RG 15/O Impacto

 

 

 

4 comentários em “Diretor implanta projeto modelo na Penitenciária de Cucurunã

  • 12 de fevereiro de 2013 em 10:36
    Permalink

    manelão quem que lhe conhece bem sou eu, moro aqui há 40 anos,manelão vc tu és tolo lerdo?
    o cara tá certo manelão.
    essa eu gostei manelão cara de bundão

    Resposta
  • 11 de fevereiro de 2013 em 11:06
    Permalink

    JORGE EU TE CONHEÇO, TÁ BOM VOCE PROCURAR CENTRO DE TESTAGEM ANONIMO, TE DOU UMA DICA; FICA NA BARAO DO RIO BRANCO, E LA VOCE NÃO VAI SER IDENTIFICANDO, NINGUEM FICA SABENDO TEU PROBLEMA.

    Resposta
  • 10 de fevereiro de 2013 em 12:22
    Permalink

    MANELÃO DEIXA DE SER OTÁRIO SEU BOBÃO,JÁ TEM O NOME DE MANÉ QUE É O NOME DE OTÁRIO.
    VEJA BEM VC O QUE VC FALA, QUE NÃO FOI FEITO PARA TIRAR O CHAPÉU PARA MACHO, VC NÃO SABE NÃO O QUE R DIZER TIRAR O CHAPÉU.MAIS EU TBM NÃO VOU LHE ENSINAR NÃO SEU COMEDOR DE FARINHA E PEIXE PODRE.TU ÉS UM OTÁRIO SEU VERME! VAI SEU OTÁRIO ME RESPONDA, DEVE SER MORADOR DE UM LUGAR MUITO ATRASADO E VC É ANALFABETO SEU IMBECIL MANELÃO SEU CARA DE BUNDÃO.RESPEITE UM CEL OTÁRIO

    Resposta
  • 9 de fevereiro de 2013 em 13:08
    Permalink

    EU SÓ NÃO TIRO O CHAPEU PARA O CEL WALTER, PORQUE EU NÃO FUI FEITO PRA TIRAR CHAPEU PRA MACHO; MAS ESSE CORONEL É ALTAMENTE COMPETENTE, ESPERO QUE ELE FIQUE MUITO TEMPO SERVINDO AO SISTEMA PENAL. PARABENS CEL WALTER.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *