Dono da Fantasy Turismo desabafa e fala sobre indenizações de famílias

Alexandre Rocha
Alexandre Rocha

O empresário Alexandre Rocha, proprietário da Fantasy Turismo, procurou a redação do DOL – Diário OnLine para esclarecer um comentário publicado na matéria da última sexta-feira (15), intitulada de “Fantasy afirma que já pagou R$ 800 mil em seguros”. Na postagem, que abordava indenizações já disponibilizadas pela seguradora às famílias, o empresário disse: “As famílias que dizem não ter recebido assistência foi porque não nos procuraram ou estão tentando tirar proveito, pedindo quantias exorbitantes”.

Alexandre disse ter sido mal interpretado e que o comentário provocou “ataques” nas mídias sociais. Em nota, a qual o empresário chama de desabafo, ele fala sobre o caso. Confira o texto na íntegra e com exclusividade:

“Sete meses após o trágico acidente que infelizmente vitimou fatalmente 10 pessoas e feriu outras mais, muitas coisas foram ditas, muitas alegações, acusações, enfim, pouco me pronunciei nas redes sociais, quem realmente me conhece sabe que sou meio avesso a elas, mas confesso que de tanto ser atacado, resolvi usar as redes sociais para me manifestar, pois até em tão usávamos apenas para promover a divulgação de nossos pacotes, pois foi pra isso que criamos nosso Facebook.

Desde aquele trágico dia, nossas vidas não foram mais as mesmas, nossas mesmo, pois eu também sofro muito com tudo isso. Naquele acidente, perdi alguns amigos, passageiros, poderia ter perdido parente, pois minha sobrinha estava lá também, sem contar nas pessoas que saíram com vida, mas com ferimentos, muitos físicos, outros emocionais assim como os meus.

Fui incansável naquele momento, providenciando tudo o que era possível para minimizar as coisas, transportando parentes, hospedando, dando tudo que era necessário, liberando os corpos, acompanhando pessoalmente nos diversos hospitais,  enfim, o que era possível, mas o tempo passou e os recursos financeiros da empresa se esgotaram, então passei a solicitar auxílio da seguradora, pois temos a cobertura de um seguro para os passageiros transportados, e esse seguro por sua vez, se encarrega de cobrir todas as despesas, mas como qualquer seguro, é um pouco burocrático e criterioso, mas que até então está honrando com seus compromissos.

Com tudo, ainda temos 15 passageiros em tratamento, uns mais graves e outros menos, por orientação minha mesmo, sugeri a seguradora que não falasse em indenização para essas pessoas, pois ainda não temos previsão de recuperação das mesmas, os demais passageiros que não se machucaram com gravidade, já foram indenizados, sabemos que não se trata de valor, pois valor algum apaga o que aconteceu, mas é o mínimo para cobrir as despesas que cada um teve, em respeito às famílias dos que faleceram, prefiro não tocar no assunto por aqui, mas já tratamos com todos eles, e gostaria muito que todos fossem poupados.

Já basta a dor irreparável da perda, agora recebo ataques constantes via mídias sociais, me atribuem frases que não disse, me chamam de mentiroso, ator, até de uma expressão que não cabe aqui, querem me responsabilizar por um ato que não cometi, não tive responsabilidade direta, tão pouco indireta, sobre o fato. Meu colaborador, motorista, a mais de 30 anos, ser humano, passível a erros, que não estava alcoolizado, que não dirigia imprudentemente (mesmo muitos alegando isso), mas existe um laudo que comprova que ele tentou corrigir a trajetória do ônibus, afinal a tragédia poderia ter sido pior. Ele deverá responder sobre seus atos, não quero aqui me excluir de minhas responsabilidades civis como dono da empresa, mas o que estão tentando fazer é me marginalizar, como se eu fosse o único culpado, como se eu tivesse jogado aquele ônibus no barranco, como se a Fantasy fosse uma empresa assassina, sofro tanto quanto todos que estavam naquele ônibus.

Nunca me escondi, nunca me omiti, mas infelizmente as coisas nem sempre saem como prevemos, esse mês completamos 13 anos de fundação, empresa que foi criada de um sonho, empresa que é minha vida, da minha família e de algumas famílias que dependem de nossas atividades, nesses anos todos.

Fizemos mais de 180 viagens, transportamos mais de 8.000 pessoas, sempre fomos referência, sempre fui meio paizão dessa garotada, e agora querem que isso tudo seja apagado, será mesmo que está certo isso?

Vamos continuar acreditando que viajar com a gente é uma festa, pois nossos sonhos não podem acabar, mas estamos tirando lições do acidente que jamais, jamais esqueceremos, e queremos junto com os passageiros que tudo seja resolvido e que se o motorista tiver que pagar pelos seus atos, que pague, mas deixarei que a polícia dê seu veredicto.

Quanto a Fantasy, continuaremos a disposição de todos , pois quem realmente me conhece, sabe que sou muito mais coração que razão, e que tudo isso me faz sofrer muito, quero reiterar que jamais chamei alguém de interesseiro, e que a imprensa irá corrigir o que disse, pois falei uma coisa e escreveram outra, quero assim como todos, que tudo seja apurado e resolvido o mais rápido possível.

Alexandre Rocha”

Fonte: DOL

3 comentários em “Dono da Fantasy Turismo desabafa e fala sobre indenizações de famílias

  • 14 de junho de 2016 em 13:43
    Permalink

    Alexandre, sou Amazonense e residi em belém em 2002 quando tive a oportunidade de conhecer a família Fantasy ao Congresso em GO de administração, e estou residindo em Belém novamente, e sempre indicarei vocês e também continuarei (agora de volta) viajando com vocês.
    eu sei o quanto possuem responsabilidades e o quanto são corretos e realmente PAIZÃO! Rsrsrs!! Na época tinha apenas 17 anos e era bem assim que os colegas e eu lhe enchergavam.
    Somente hoje que soube desta reportagem e foi exatamente neste ônibus que viajei (muito confortável), sinto muito pelo acontecido… Espero que o tempo tenha se encarregado de curar a dor dentro do coração de todaos da família Fantasy…
    Sucesso… porque vocês merecem!

    Resposta
  • 18 de março de 2016 em 10:20
    Permalink

    fui motorista da transbtur a anos,conheço esse trecho muito bem.na bertolini pasava por ali todo mes.muita neblina situaçao adversa serra etc.mais nao bater de frente,ele foi um heroi,pois o irresponsavel q veio na contramao nao deu conta de fazer a curva.hoje sou carreteiro profisional a 15 anos mais quem conheçe ventania pr.sabe.alexandre deus sabe tudo.tudo de bom a familia fantasi.abraços

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *