Ufopa inicia atividades do 1º doutorado do Oeste do Pará

UFOPA Campus Tapajós
UFOPA Campus Tapajós

Ocorreu no dia 19 de fevereiro de 2013 a aula inaugural do primeiro curso de doutorado da região Oeste do Pará, o Programa de Pós-graduação Sociedade, Natureza e Desenvolvimento (PPGSND) da UFOPA, em Santarém. O evento, ocorrido no Auditório do Campus Tapajós, teve a participação de doutorandos da primeira turma, professores permanentes e colaboradores do curso, pró-reitores da UFOPA, convidados de outras instituições e comunidade acadêmica.

O pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação Tecnológica (PROPPIT), Prof. Dr. Marcos Ximenes, proferiu o discurso de abertura do doutorado, que, para ele, representa um momento histórico para a universidade. Segundo o professor, os programas de pós-graduação estimulados pela UFOPA estão alinhados às políticas nacionais para a área, que têm como uma de suas preocupações o desequilíbrio nacional. “A pós-graduação está concentrada no Sul e no Sudeste do Brasil. Criar programas de pós-graduação na região significa um passo muito forte na política nacional”. Ele citou, ainda, como elementos importantes a formação de recursos humanos para atender à demanda dos grandes programas do país, desenvolvendo políticas públicas em diversos setores, e para a atividade produtiva, tornando o país mais competitivo.

Professor associado da UFOPA, o Dr. David McGrath faz parte do quadro de docentes do doutorado. Sua intenção é trazer a experiência da abordagem interdisciplinar que ajudou a desenvolver no Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA) da Universidade Federal do Pará (UFPA). “Vim aqui com a expectativa de adaptar aquele modelo à realidade desta região, onde trabalho há 20 anos com vários tipos de iniciativas. Eu vejo o doutorado como uma oportunidade de trazer essas experiências para a sala de aula, e da sala de aula, com os projetos dos alunos, contribuir para o desenvolvimento sustentável da região”, disse. Segundo ele, uma das diferenças fundamentais é que o NAEA tem foco na Bacia Amazônica, enquanto na UFOPA o enfoque será na Bacia do Tapajós, no Oeste do Pará, dentro do contexto da Amazônia e do Brasil.

Aluno do curso, Wilderclay Machado explica que a interdisciplinaridade foi o que lhe despertou o interesse no doutorado. “Esse é um grande desafio para todos os professores e pesquisadores. Eu, como físico, quero tentar aplicar meu conhecimento em Física e em Física da atmosfera para contribuir mais para o combate aos problemas da região. Vou pesquisar outros ramos, como História, Antropologia e Sociologia, e quero integrar os conhecimentos nas várias áreas para tentar chegar a um conceito bem amplo”, disse ele, que é mestre em Ciências Ambientais.

Desmatamento e mudanças climáticas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *