Barco naufraga no Pará e deixa ao menos 12 mortos

Barco naufragouUma embarcação naufragou na madrugada de sexta-feira próximo a Cachoeira do Arari, na região do Marajó, no Pará. Até o momento, a Capitania dos Portos confirmou a morte de 12 pessoas, entre elas, cinco crianças, segundo o site G1. O barco de passageiros “Iate Leão do Norte” navegava acima da lotação permitida. Em entrevista à TV Liberal, afiliada da Rede Globo no Pará, Luís Inácio Lima, que pilotava o barco na hora do acidente, disse que levava 49 passageiros, apesar de o máximo indicado para a embarcação ser 25. Estima-se que, na verdade, 80 pessoas estavam a bordo.

O “Iate Leão do Norte” saiu de uma localidade do município de Chaves com destino a Belém. De acordo com a reportagem da TV Liberal, o barco acabou tombando ao fazer uma curva no rio Arari. Como aconteceu de madrugada, a maioria dos passageiros estava dormindo.

A prefeitura de Cachoeira do Arari decretou estado de emergência, o que deixa o ponto facultativo para os funcionários municipais para que eles possam ajudar nos trabalhos de resgate e apoio aos sobreviventes, segundo informações da TV Liberal. À emissora, o prefeito de Cachoeira disse que o governo do estado prometeu enviar legistas para a cidade, que tem apenas um hospital público.

Ainda conforme a reportagem, das 25 vítimas internadas, duas estão em estado grave e precisam ser levadas a Belém. Uma delas é filha do comandante do barco. O principal problema apontado pela enfermeira Marly Rodrigues, do hospital municipal, à TV Liberal é a ingestão de água com óleo que vazou do motor da embarcação. Em entrevista à TV, o capitão dos portos Sérgio Duarte informou que a Marinha enviou quatro navios e três lanchas para o local. Com eles, seguem mergulhadores e equipamentos para auxiliar na operação.

Comandante admitiu que transportava além do limite: O comandante do barco “Iate Leão do Norte”, que apesar de ser chamado de “Iate” é um barco de passageiros, naufragado na madrugada de sexta-feira (19) nas proximidades de Cachoeira do Arari, na região do Marajó, no Pará, admitiu que transportava passageiros além da capacidade máxima da embarcação. Segundo a Capitania dos Portos, o barco transportava cerca de 60 passageiros, mas de acordo com o comandante Luís Inácio Lima, havia 49 pessoas no barco, que teria vagas para apenas 25. “Eu não vou mentir para ninguém, não. Viajo com a minha esposa, minha filha, meu filho”, confirmou, ainda bastante abalado.

O comandante do barco afirmou que ainda não sabe o que pode ter causado o naufrágio. “Eu mesmo vinha pilotando, quando o barco virou. Eu não bati em lugar nenhum, não. Eu mesmo não consigo entender, foi tão rápido”, lembra.
Segundo Luís Inácio Lima, o “Iate Leão do Norte” estava rebocando um outro barco. “Eu trazia outro barco a reboque também, mas [o acidente] só aconteceu com o nosso. O outro barco não teve acidente nenhum”, afirma. Segundo a Capitania dos Portos, o barco rebocado pelo “Iate Leão do Norte” não ficou danificado, e está auxiliando nas buscas.
Entenda o caso
A embarcação “Iate Leão do Norte” naufragou na madrugada desta sexta-feira (19), durante o trajeto de Arapixi, uma localidade do município de Chaves, na ilha do Marajó, com destino a Belém. Doze pessoas morreram e 46 foram resgatadas com vida. O número de desaparecidos ainda não foi confirmado, já que os trabalhos de busca ainda estão em andamento.
Dois navios da Marinha mais uma lancha auxiliar foram enviados para a localidade para fazer as buscas aos sobreviventes. Equipes do Corpo de Bombeiros e da Marinha do Brasil estão no local realizando buscas aos desaparecidos. Um inquérito será instaurado para apurar as causas do naufrágio, que ainda são desconhecidas. A previsão de conclusão é de 90 dias.

Fonte: G1

Um comentário em “Barco naufraga no Pará e deixa ao menos 12 mortos

  • 20 de abril de 2013 em 18:59
    Permalink

    A notícia fez-me recordar do navio do filho do Dep. António Rocha, que afundou matando dezenas de pessoas e que não resultou em nada, as famílias nao foram indenizadas e os proprietários jamais foram responsabilizados. Lamentável.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *