Operação verão

Foi esta resposta esfarrapada, desgastada, desquarada, ou mesmo, escarrada que recebi de um membro da SEMINFRA, quando fui cobrar os pedidos feitos através de ofícios da Associação dos Moradores do Conjunto Tapajós – COHAB, de onde estou presidente.  Está incluído na Operação Verão!

Mudam os governos, mas, não mudam os discursos, na intenção de enganar o povo que os elegeram, talvez, pensando até que todos são imbecis. Mas o que ocorre é que o inverno chegando mais cedo, adeus operação verão. A desculpa será outra, também manjada: quando passar o período chuvoso. Que falta de criatividade!

Aí perguntei-lhe, a cidade toda está sendo caiada, mas para o bairro da COHAB, só poeira? Respondeu-me que a cal era só para onde está asfaltado. Então, disse-lhe em forma de pergunta e o resto, os bairros e a periferia, não é cidade? Eles também pagam impostos e votam! Está incluído na Operação Verão, respondeu-me, novamente.

Remonto ao final dos anos cinqüenta e início dos anos sessenta do século passado, quando o então prefeito Ubaldo Corrêa fez algo de inédito “cimentou” as travessas dos Mártires, 15 de Agosto, 15 de novembro e antiga Av. João Pessoa, do Trapiche até o Canto Redondo (sabem onde é?), tudo caiado, tal qual agora. E os troncos das mangueiras da Avenida São Sebastião e Rui Barbosa, caiados, e o pequeno número de servidores, varrendo as ruas, na maioria de areial, com vassoura de pauzinho e tocando fogo ali mesmo no meio das ruas. Parece que o Senhor Prefeito e seus atuais secretários, a maioria, vindo de fora, não são filhos de Santarém, e alguns, nem aqui residiam, portanto, sem compromisso com a Cidade. Parece no tempo da Interventoria, alguns vinham para cá, indicados, sem compromisso com o município. Só para ganhar o seu dinheiro. Talvez por isso os indicados pelo atual governo, ainda não entenderam que a Cidade de Santarém não é mais aquela. Já passou esse tempo.  E mesmo porque as leis ambientais não permitem atear fogo em lixo na via pública, então, necessário se faz contratar uma empresa para o rendoso negócio de coleta do lixo, que, geralmente é cobrado por tonelagem. Estas empresas, geralmente, dizem que pertencem a algum “padrinho” que bancou a campanha política.

Santarém teve até no governo passado um bom serviço de coleta de lixo. Pelo menos aqui na COHAB. Terças, quintas e sábados, quase que em pontualidade britânica. Os moradores já colocavam o lixo com antecedência e naquela hora o carro passava. O que não vem ocorrendo desde janeiro deste ano de dois mil e treze. Primeiro, alteraram o horário, sem avisar. Que era pela parte da manhã. Não se tinha mais um horário definido, até no final da tarde chegou a passar carro por aqui. E o povo acostumado com a coleta na parte matinal, colocava o lixo em frente as suas casas e aí virava a festa para os urubus e cachorros (antigos vira lata), hoje rasga saco. O lixo se espalhava pelo leito das ruas e o mau odor pelo ar, incomodando a todos.

 Mas quando se esperava que tudo fosse resolvido, veio desastre maior. Eis que passamos a semana anterior, aqui na COHAB, e depois vim a ver os amontoados de lixos por toda a cidade, provocado, pela falta de coleta, pela falta dos benditos carros. Ditos agora, sucateados, quebrados, sem condições de operações da empresa detentora da milionária licitação do município de Santarém e que vinha prestando a contento o serviço de coleta do lixo. Cadê ou que é de? os carros usados? até antes de propagarem, como dizia o finado  SETE, “já  está na boca do povo, companheiro” que a Prefeitura não está efetuando o pagamento das parcelas mensais do contrato. Está inadimplente, ou o que mais? A empresa está trabalhando fiado! E povo paga mais uma vez o pato (antes do Círio). Paga os impostos para ter o retorno em serviços e obras, paga o salários desses péssimos gestores e paga a empresa detentora do contrato e os veículos que são alugados de afogadilho, sem licitação é claro, para improvisar a coleta de lixo, que é feita por pessoas não habilitadas para tal. Daí a falta de qualidade do serviço realizado, nos últimos dias.

Se já não bastasse, aqui na COHAB, os apagões diários, geralmente pela madrugada, efetuados pela CELPA, a falta de água da COSANPA, os desmazelo na Feira Livre que está se tornando um lixão e um amontoados de “marreteiros” e “boqueiros” à noite. A péssima conservação das ruas do conjunto, a falta de iluminação pública. Os “trombadinhas” e “galerosos” que assaltam as pessoas que retornam do trabalho no início da noite. Agora temos que conviver com o mau cheiro e o lixo espalhado pelas ruas, substituindo o antigo asfalto.

Para finalizar senhores secretários e assessores e etc..da SEMINFRA: A parte do muro do campo de futebol da associação que foi derrubado por uma máquina dessa  secretaria. Vai fazer seis meses que ficaram de consertar e não consertaram. Égua, nem palavra vocês tem! Ou só na próxima Operação Verão?

HOJE NO FLUMINENSE tem a gravação do DVD da banda ESTAÇÃO PONTO COM o melhor da Música de Saudade, a partir das 23 horas. Imperdível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *