Vídeo – José Maria Lira: “Somos vítimas de nosso próprio sucesso”

Titular do Núcleo de Esporte e Lazer fala sobre atletas que trouxeram títulos para Santarém

Nossa reportagem entrevistou o titular do Núcleo de Esporte e Lazer da Prefeitura Municipal de Santarém, José Maria Lira, que nos fala sobre as novas ações, expectativas e planos para o futuro. Também falou sobre alguns atletas que trouxeram muitos títulos para Santarém, em diversas modalidades. José Maria Lira revela como ele tem encarado esse grande número de vitórias conquistadas pelos atletas que estão representando muito bem Santarém.

“Nós somos vítimas de nosso próprio sucesso”. Esta frase que é dita constantemente no Núcleo de Esporte Lazer. “Nós temos muitos atletas que ganharam várias competições à nível regional, estadual, nacional e internacional, atletas campeões de Copa Sul-americana de jiu-jítsu e muito mais. Sabemos que Santarém é uma cidade muito desportiva, que respira o esporte e o bom disso, é que não me refiro apenas aos esportes ditos populares, como o futebol, nós temos atletas em diversos segmentos, como tênis de mesa, natação, jiu-jítsu, taekwondo, caratê, capoeira e por aí vai. O impressionante é que temos todas as faixas etárias de idade. Assumimos o Núcleo de Esporte há um ano, sendo que já tínhamos conhecimento desta vasta acessibilidade ao esporte, desse nosso garimpo de talentos. Trabalhamos o ano de 2017 muito bem, esperamos melhorar mais ainda neste ano de 2018”, disse José Maria Lira.

Ao ser questionado sobre a estrutura do Núcleo de Esporte, se já existe algum cadastro, mapeamento identificando os atletas com alto potencial, José Maria Lira foi enfático: “Nós começamos um cadastramento por segmentos, estamos ainda cadastrando projetos como de escolinha de futebol social. Depois iremos partir para os atletas de alto rendimento, para fazermos o cadastro e assim termos uma noção real, para a partir daí traçar o que nós queremos para essa modalidade a curto, médio e longo prazo, ou seja, já estamos cadastrando esses atletas e inclusive trabalhando o projeto 2018. Com relação ao Bolsa Atleta, nós estamos tentando renovar o convênio à nível nacional e também já reunimos com o Prefeito e pedimos que o Executivo trate esse projeto com o Legislativo, porque tem que ser um Projeto de Lei da Câmara de Vereadores, para que possamos ter esse apoio mais consistente e mais fixo aos nossos atletas, haja vista como citei anteriormente, Santarém é uma cidade de muitos atletas, pois trata-se de um mecanismo social muito importante para inclusão social e para divulgação de nossas potencialidades turísticas lá fora”, declarou Lira.

O núcleo possui grandes dificuldades financeiras para atender muitas vezes pedidos de atletas ou de uma equipe de qualquer modalidade, pois sabemos que o Município não dispõe de recursos e em algumas situações o atleta chega de surpresa alegando que vai participar de uma competição. “Quando falei que precisamos fazer uma catalogação, um levantamento do que existe em Santarém com relação a esses atletas, era justamente para isso, trabalhar em cima de um planejamento. É muito comum o atleta chegar em cima da hora pedindo apoio. A Prefeitura por si só já enfrenta dificuldade não apenas pelo fato financeiro, mas também pela parte da lei, a burocracia. Existe um relatório dos municípios que é uma lei relativamente nova, vigora desde o início de 2017, que regulamenta muitas situações e nos orienta a não praticar certas coisas, como por exemplo, depositar dinheiro na conta do atleta em cima da hora. Esse tipo de coisa não se pode fazer hoje em dia. Então, estamos buscando uma forma mais aprimorada e lícita para que possamos estar disponibilizando recursos para que esse atleta tenha garantia para representar Santarém nacionalmente e internacionalmente. Em tudo tem que ter planejamento. Em 2017, somando os nossos números, são poucas as modalidades que não foram atendidas com eventos nossos. Estamos em um processo de evolução, por exemplo, nós teremos um mecanismo muito bom de apoio em esportes de alto rendimento que é a finalização da construção do CIE, trata-se de um ginásio multiuso, um centro de iniciação esportiva, é um projeto do Governo Federal em parceria com o Governo Municipal, que será localizado no Residencial Salvação. Pelo fato que o projeto em si, deve ser construído numa área que atenda principalmente o projeto ‘Minha Casa, Minha Vida’, ele já está em fase de construção, já passou por licitação. Esse projeto vai atender 13 modalidades olímpicas e 06 modalidades paraolímpicas, inclusive irá atender através de um banco de dados nacional, por exemplo, os números do atleta de taekwondo, as competições que ele for ganhando, esses números estarão disponíveis para o Ministério do Esporte, para que ele possa entender o seguinte: se vai acontecer um evento fora do Brasil, o sistema vai procurar pelos melhores atletas com as melhores pontuações. Uma vez cadastrado nesse banco de dados, cria-se condições de igual modo a concorrer com vagas de Sul e Sudeste, ou seja, haverá um nivelamento de informações”, analisou.

Outro assunto que chama bastante a atenção é a respeito das quadras esportivas presentes nos bairros, algumas dessas quadras foram passadas para a administração do próprio bairro, e hoje, segundo as notícias que estão circulando, a Prefeitura enfrenta dificuldade com relação ao vandalismo, como furto de fios das instalações elétricas dessas quadras. Como essa situação está sendo administrada?, perguntamos: “Das diversas quadras que existem hoje, poucas estão sob o poder do Município. Recebemos uma recomendação do Ministério Público de passarmos o gerenciamento dessas quadras à comunidade, pelo fato de que há um custo a ser pago todos os meses, com energia elétrica, com funcionários, bem como a manutenção das quadras. Portanto, poucas quadras estão sob a administração do Município, a grande maioria já foi repassada para as comunidades e nós estamos também trabalhando no sentido da capacitação. Com relação aos furtos, infelizmente quando chega essa época do ano o nível de furtos na cidade cresce e este ano fomos pegos de surpresa com roubo de cabeamento, fios, mas estamos monitorando; fizemos as devidas providências, tanto no setor de segurança pública com o Boletim de Ocorrência, quanto nos setores competentes, para que pudessem disponibilizar um meio que não fosse tão fácil o roubo desses fios. A maioria desses fios é subterrâneos, então, há um mecanismo de se fazer um elevado dessas fiações para que dificulte mais a ação dos ladrões e para que o nosso público não seja prejudicado”, declarou José Maria Lira.

Por: Jefferson Miranda

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *