Peninha: “Empresa e 8º BEC são culpados pelas precárias condições da BR-163”

Serviços realizados na BR 163 são de péssima qualidade e em vários trechos a rodovia fica intrafegável e perigosa

O vereador Peninha usou a Tribuna na Câmara na última terça-feira (20) para acusar a empresa Sanches Tripolini de ser a responsável pelas precárias condições de alguns trechos da Rodovia 163 (Cuiabá-Santarém), no trecho Campo Verde/Rurópolis. O edil, que teve a oportunidade de percorrer este trecho recentemente, disse que a empresa, com o objetivo de receber pagamento do serviço prestado ao DNIT, com a tal medição, resolveu mexer em toda a extensão deste trecho, que tem 112 quilômetros e não tinha equipamentos suficiente para fazer o trabalho.

“Com a chegada do inverno, como a empresa não teve condições de efetuar o serviço, foi obrigada a fazer vários desvios. Desvios estes, que quando chove fica verdadeiro “sapoeiro”, pois nenhum carro sobe e nem desce, a não ser com a ajuda de máquinas pesadas, como podemos ver in loco dezenas de carretas sendo arrastadas pelas máquinas da empresa Sanches Tripoloni. Com isso, se formam enormes filas, principalmente de carretas, que são as mais prejudicadas e aí como não passam nem com reza, atravessam as carretas para que ninguém passe”, destacou Peninha.

“Como podemos ver, a empresa mexeu em vários trechos e o que era pista de rolamento da estrada, virou buraco e atoleiro, por isso vários desvios são necessários serem feitos”, frisou Peninha.

O Vereador não poupou críticas ao DNIT, órgão que fiscaliza o serviço, pois deveria ter advertido a empresa, para que não mexesse em todo este trecho. “Entretanto, o DNIT permitiu que isto acontecesse e hoje estamos passando humilhação neste trecho, por falta de responsabilidade, tanto da empresa, como do órgão, que fiscaliza e paga o serviço”, declarou.

Lembrou Peninha que o contrato da empresa nº 00035/2013 é no valor de R$ 229.388.427,00, já tendo aditivo, porém, se passaram 5 anos e a empresa ainda não concluiu o serviço. O pior, afirmou o parlamentar, mexeu tanto neste trecho, que fica intrafegável quando chove.

O edil itaitubense também criticou o 8º BEC. Disse que é uma vergonha o governo ainda contratar o BEC para fazer asfaltamento desta estrada. Lembrou Peninha que há quase 40 anos o 8º BEC está asfaltando a Santarém-Cuiabá, trecho Santarém-Rurópolis, com uma extensão de 223 Km e até hoje não concluiu. “E olha, que já foram gastos milhões e milhões de reais”, informou.

Peninha lembrou que esta semana quando viajava por esta estrada também enfrentou os problemas desta rodovia por causa dos serviços “porco”, como classificou. Disse que 20 quilômetros chegando a Rurópolis, sentido Santarém-Rurópolis, tem em torno de 200 metros, isto mesmo, 200 metros que até hoje não foram asfaltados e o BEC não faz nada. “Ali passamos mais de 2 horas para puxar uma carreta que não subia por causa do trecho liso. Bastava que fosse feita terraplenagem. O pior que este problema já vem ocorrendo a meses e parece que o BEC não vê, apesar dos seus veículos passarem ali”, acrescentou Peninha.

O Vereador, usando a tribuna, se mostrou indignado, pois o BEC já recebeu tanto dinheiro e nunca concluiu a pavimentação desta estrada de Santarém a Rurópolis. “Quem trafega nesta rodovia, há de concordar comigo, que a pavimentação do BEC é péssima. Em menos de 1 ano, onde foi pavimentado há uma quantidade absurda de buracos, o que obriga o motorista a sair fazendo zig-zag, correndo o risco de virar o veículo. Aí vem o Governo e contrata de novo o BEC para asfaltar 65 quilômetros, que já recebeu R$ 75.000.000,00 desta rodovia, no trecho Moraes Almeida/Novo Progresso. Vamos esperar quantos anos de sofrimento para ver este trecho asfaltado?”, questionou Peninha.

Lama e atoleiros formam filas de carretas na rodovia

O Vereador também criticou o 9º BEC, pelo péssimo asfalto que fez na Rodovia Cuiabá-Santarém (BR 163) ou BR 230 (Transamazônica), trecho Campo Verde/Miritituba. “O 9º BEC recebeu mais de R$ 41.000.000,00 para asfaltar este trecho e será que é preciso dizer como está? Crateras, buracos, desvios. É uma vergonha e fica por isso mesmo. Até quando vamos aceitar isto?”, perguntou o Vereador.

“As carretas trafegam no zig-zag, o que muitas das vezes para evitar um acidente, temos que procurar o leito da estrada, que já é estreita, para evitar dar de cara com uma carreta. De vez em quando uma carreta tomba. Com o aumento da quantidade de carretas chegando aos portos de Miritituba, a tendência é o tráfego nesta rodovia ficar mais perigoso. Estou fazendo um documentário para enviar ao DNIT pedindo providências e ao TCU-Tribunal de Contas da União para fiscalizar com mais rigor estes contratos e exigir que as empresas e o próprio Exército faça um serviço de qualidade, pois estão sendo pagos, e bem pagos pelo Governo e temos que fiscalizar porque é nosso dinheiro, somos nós que pagamos e ainda temos que ser humilhados nesta estrada”, concluiu o vereador Peninha.

Fonte: RG 15/O Impacto

4 comentários em “Peninha: “Empresa e 8º BEC são culpados pelas precárias condições da BR-163”

  • 23 de março de 2018 em 08:05
    Permalink

    A culpa do descanso com as estradas da Região Norte devem-se principalmente a má atuação dos políticos, sejam eles federais, estaduais ou vereadores, eles não fazem absolutamente nada em prol de quem os elegeu, ficam alardeando moralidade, sem conhecer o real significado do termo. É muito desolador ver que esta região é uma parte do país esquecida pelo poder público. Quanto ao DNIT entregar a obra ao Exército, isso se dá porque como o serviço a ser realizado é em uma área difícil acesso e não existem outras empresas interessadas na obra porque ela não dá lucro.
    No tocante a BR 163, o 8º BEC sempre trabalhou com parcos recursos, pois como não tem como prioridade lucro e sim qualificar sua mão de obra, que sejam militares ou servidores civis, tanto que atualmente podemos encontrar em todas as regiões do Brasil e até mesmo no exterior, ex-militares que tiveram sua escola no EB, mais precisamente no 8º BEC.
    Uma pessoa que tece críticas descabidas contra uma Instituição que sempre primou por realizar um bom serviço a população, se deve a desconhecimento de fato da situação ou na mera busca de promoção pessoal.
    Tenho Dito!

    Resposta
  • 22 de março de 2018 em 17:44
    Permalink

    Parece que o vereador não sabe como o DNIT distribui as verbas para a 163, que é a conta gotas,por trechos, nunca para um trabalho definitivo, pois a 163 requer manutenção permanente, o ano todo, ele somente volta a liberar verba e contratar novos trabalhos cinco anos depois, quando já acabou o último revestimento. Cito a última ponte perto de Rurópolis, ainda no projeto embora o DNIT venha prometendo verba há 8 anos para a sua construção! O 8BEC trabalha com a pouca verba que liberam, nunca para fazer o piso da estrada em concreto,o ideal para a nossa região. Já que nossos políticos nada conseguem em Brasília, então que se faça a concessão para uma empresa privada, como já existe no Mato Grosso, onde estão duplicando a 163 e usando concreto, nunca mais buracos ! O pedágio acaba compensando, pois custa 5 % do preço de um pneu novo !!!

    Resposta
  • 22 de março de 2018 em 16:40
    Permalink

    Muito bem vereador. Faço minha as suas palavras. O senhor viu, sentiu e disse tudo o que o povo gostaria de dizer. Efetivamente é vergonhosa a situação de descaso em todoa BR 163 no trecho entre Itaituba e Santarém. Roubaram nosso direito de ir e vir, muito embora estejamos pagando muito caro por isso, inclusive algumas vezes com a própria vida.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *