Artigo – Brasil, a terra das profecias fracassadas

Por Oswaldo Bezerra

De repente, em meados de 2013, o país se “politizou”. Muita gente munida de argumentos, obtidos nas redes sociais, passaram a discutir e opinar sobre política com aquela certeza que só os tolos têm. Quem municiou toda uma população com argumentos e principalmente previsões falsas? Quem financiou tanta desinformação que culminou o país a trilhar o caminho da maior desindustrialização que se tem notícia. A Quem interessou tornar o país líder de fechamento de vagas de empregos e de comércios? Essa foi a história que transformou o país na “terra das profecias fracassadas”.

Em 2013, com a intensificação da campanha eleitoral para presidência, a imprensa até brincava com a oposição sobre ganhar a eleição. O Brasil passava pelo seu melhor momento econômico e com a menor taxa de desemprego da história. Dilma tinha mais de 79% de aprovação.

Em programa de TV que entrevistava políticos, o CQC, ao entrevistar Aécio Neves, o candidato da oposição, perguntaram a ele sobre a eleição, ele disse que ganharia. O repórter da CQC brincou: Como? Vão dar um golpe? Talvez tenha sido esta a última previsão que deu certo no país.

Coincidente com a chegada da embaixadora Liliana Ayalde, a especialista em derrubada de governos (já havia derrubado os presidentes Zelaya e Lugo), muitos movimentos surgiram como MBL, Vem Pra Rua, Revoltados Online além de vários youtubers e imprensa local que deram início a uma série de previsões furadas. Ciro Gomes afirmou no Estadão que Temer era o capitão do golpe contra Dilma, pelo que vimos hoje ele só foi um peão do complô.

A primeira das previsões falsas foi a de que o dólar atingiria o valor de R$ 1,99, se a Dilma caísse. A população acreditou e muita gente foi para as ruas para protestar, naqueles protestos com cobertura feita pela GLOBO, com transmissão ao vivo. Várias garotinhas elevavam cartazes com frases como “quero voltar para Disney”, “devolva meu dólar a R$ 1,99, Dilma sua vaca”.

Também correu a notícia de que o dólar chegaria a R$ 2,00, caso Bolsonaro fosse eleito, conforme notícia publicada pela InfoMoney. A Infomoney também trazia uma entrevista com um suposto gestor (um tal de James Gulbrandsen) de US$ 3 bilhões, explicando por que a eleição de Bolsonaro deixaria o dólar neste valor. Depois que Bolsonaro assumiu o dólar para R$ 4,00.

O Antagonista, site formado por jornalistas da GLOBO afirmou com todas as letras de que se Dilma saísse o PIB dobraria. Hoje o PIB patina em 0,8%. Antes da eleição para presidente, Paulo Guedes afirmou que em três meses a economia estaria no patamar da era Lula (7,5% ao ano).

Depois de eleito, Paulo Guedes (lançado por Luciano Hulk) afirmou ao UOL que “nunca falei que a economia cresceria este ano”. Mais recentemente, o super ministro da Economia afirmou que a economia vai crescer, mas só no terceiro ano de governo, quem acredita?

Mírian Leitão, Dória e Paula (Ana Paula Henkel) do Vôley derramaram previsões de paraíso na terra com o governo Macri. Dória afirmou que o governo Macri era absolutamente inspirador. Paula do Vôley gritava vivas de alegria pelos novos ares da Argentina, afirmando até que Macri e sua esposa eram como a realeza.

Mírian afirmou que “o ajuste produzido pelo governo (Macri) já traz resultados concretos que começam a ser percebidos pela população”. Claro que a população sentiu, na pele, a imensa crise que o neoliberalismo levou a Argentina, que culminou na moratória decretada este ano.

A imprensa sempre propagou que se a Bolsa está bem o país estará bem. Afirmaram que infelizmente o Brasil tinha mais presidiários do que investidores na Bolsa. Contudo, em sites como o UOL propagaram a ideia que se Bolsonaro ganhasse a eleição o brasileiro iria entrar fundo na Bolsa Brasileira, pobre previsão fajuta. Só em agosto deste ano foram retirados mais de 4,7 bilhão de reais da Bolsa. Só nos últimos 5 meses foi registrada uma saída de R$ 16 bilhões.

Outra previsão furada foi dada pela “Investimentos e Notícias” em seu site. A previsão dizia que a prisão de Lula impulsionaria a economia pois, mostraria que as instituições estariam funcionando a 100%. Hoje sabidamente da farsa montada para sua prisão, conforme a Vaza a Jato.

Michele Bolsonaro também entrou para a lista de profetas fracassados. Afirmou em entrevista ao Jornal O Globo que as acusações sobre o marido iriam cair, e que o marido dela era um príncipe. Para quem não sabe a diferença entre misoginia e homofobia seria demais cobrar previsões precisas desta profetisa.

Bolsonaro já prometeu que a reforma da previdência gerará 8 milhões de empregos. Será? Michel Temer já havia previsto que as mudanças nas Leis trabalhistas gerariam 6 milhões de empregos. Não gerou. Michel afirmou que a MP 795 (a famosa MP da Shell) geraria 500 mil empregos. Não gerou. Pelo menos na sua última entrevista, ao Roda Viva, foi sincero quando disse que realmente foi um golpe de estado, e de que não passou de mero peão no complicado xadrez do poder.

2 comentários em “Artigo – Brasil, a terra das profecias fracassadas

  • 27 de setembro de 2019 em 22:52
    Permalink

    O Rombo era maior que qualquer previsão. Essa horda petista tinha que ser exterminada. Vai ser 20 anos de penúria, isso se estas desgraças não voltarem.

    Resposta
  • 27 de setembro de 2019 em 21:47
    Permalink

    Agora vem esse engabelador querer repassar a mui falsa idéia que os governos PT eram maravilhosos, ninguém roubava, o Lula não armava suas tramoias, Dilma idem, que o Brasil não estava em recessão e que as estatais não se tornaram cabides de emprego de pelegos companheiros e fontes de roubalheiras, que só davam lucro, prejuízos zero ! Nos respeite, apenas pequena parte dos leitores é constituída de PTrevas ! Profecias fracassadas foram as de Marx, quando em cem anos o comunismo provou-se o maior embuste da história, gerando somente fome, doenças, perseguições, prisões, torturas e o genocídio de mais de 120 milhões de pessoas !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *