Artigo – Terra arrasada: preocupação de Bolsonaro é o nosso maior desafio como nação

 

Por Oswaldo Bezerra

A tática de terra arrasada impediu que Napoleão Bonaparte e os Nazistas de conquistarem o mundo. A estratégia aplicada pelos russos consistia em devastar tudo, enquanto seus exércitos recuavam. É justamente esta tática que Bolsonaro quer evitar que seja usada contra o coronavirus. Por conta da visão de Bolsonaro, especialistas, médicos e governadores são contra o presidente.

 

A realidade, às vezes, não pode ser modelada com o ideal. Na época do “Brasil da fome”, médicos brasileiros pediam as mães para alimentarem seus filhos desnutridos três vezes ao dia, com dieta rica e nutriente. Muitas das mães ficavam tristes com as ordens médicas, nos postos de saúde, já que as vezes não conseguiam nem ter um prato de comida por dia.

 

Por conta da covid-19, hoje até o conceito de riqueza está mudando. Antigamente, pessoas que moravam no sítio com agricultura de subsistência eram consideradas miseráveis. Hoje são capazes de ficarem isoladas do resto do mundo sem problema com a falta de fornecimento de energia e água. Vão passar ilesas pela pandemia. Conceitos e ideias foram também alteradas.

 

Hoje, uma poderosa nação da União Europeia está sendo salva por um país muito pobre e que sobrevive, mesmo debaixo de tantas sansões-econômicas e até de bloqueios econômicos inclusive pela nação que está salvando. Estamos falando envio de milhares de médicos cubanos para a Itália. São aqueles mesmos médicos que expulsamos do Brasil.

 

Há alguns meses, especialistas das Ciências Econômicas, em face da irresponsável política aplicada por Trump tinham uma ideia sombria sobre o futuro dos EUA. A política de fazer crescer eternamente bolhas de dívida soberana e corporativas, além de baixar as taxas de juros para quase zero, traria uma enorme recessão. Para os economistas só o socialismo salvaria os EUA.

 

Por incrível que pareça, o candidato Bernie Sanders, pela primeira vez na história americana, levou um socialista tão próximo a candidatura à presidência. O coronavirus serviu de catalisador e adiantou tudo. 

 

O pacote de Trump dará cheques aos cidadãos americanos no valor de 600 dólares por semana (3 mil reais por semana) e mais 500 dólares mensais por filho (2 mil e quinhentos reais por mês). Os EUA também estão aprovando verba de 2,3 trilhões de dólares para empresas americanas. Isto tornará os EUA a maior nação socialista do mundo, maior até do que foi um dia a União Soviética. Os EUA possuem hoje 8 mil bombas nucleares, mas não possuem EPI (equipamento de proteção individual) suficiente para os profissionais da saúde combaterem o covid-19. É o fim do discurso do Estado Mínimo. 

 

Estado Mínimo que tanto pautou o presidente brasileiro e seu ministro da economia. Contudo, Bolsonaro tem razão. A estratégia de “terra arrasada” nos destruirá como nação. Esta estratégia vai empurrar cidadãos pais de família desesperados aos saques, aos assaltos e roubos. 

 

Por isso, estamos na hora ideal de ajustarmos os confinamentos como indica o presidente. É hora ideal também de unir os três poderes para taxar os 58 bilionários brasileiros, estes que possuem a metade de nossas riquezas. Só assim poderemos seguir o exemplo dos EUA, transferindo riquezas para a população e empresas nesta atípica crise econômica. Estas ações serão nossa única chance de vencermos esta guerra sem destruirmos nossa própria nação.

RG 15/O Impacto

5 comentários em “Artigo – Terra arrasada: preocupação de Bolsonaro é o nosso maior desafio como nação

  • 29 de abril de 2020 em 18:38
    Permalink

    Os italianos é que irão salvar os médicos cubanos da fome, e da-lhes macarronada e vinho, além da grana, pois no “paraíso cubano” o salário é de míseros R$ 50,00 !

    Resposta
  • 28 de abril de 2020 em 07:44
    Permalink

    Alguém sabe dizer quantos cubanos já morreram nessa pandemia do coronavirus, apesar de ser a “melhor medicina” do mundo, segundo o homem “mais honesto” do mundo ? Acho que não morreu ninguém ! kkkkkkkkkkkkkkkk

    Resposta
  • 3 de abril de 2020 em 20:26
    Permalink

    Médicos de Cuba salvando os italianos ? kkkkkkk…conta outra piada que esta foi boa !!!

    Resposta
  • 27 de março de 2020 em 09:20
    Permalink

    Então salvar a situação financeira da população de baixa renda em época de crise é “o socialismo” ? KKKKKKKKK…vejamos o socialismo da Venezuela e de Cuba, que destruiu as reservas monetárias desses países, que sequer fornece quantidade e qualidade de alimentos à população, medicamentos muito menos, com seus hospitais sucateados. O que o Trump faz, e com sobra de dinheiro, é graças ao capitalismo, que tornou os USA a mais rica e próspera nação do mundo. Por aqui, o que os socialistas fizeram foi avançar nos cofres das estatais e receber grana de empreiteiras, através dos famigerados “pixuleco$”, além de inchar, com cabides de emprego dos cupinchas, as folhas de pagamento dessas estatais. Quanto ao estado mínimo, deixando a iniciativa privada executar as tarefas que não cabem aos indolentes funcionários públicos, é o que realmente gera riqueza, empregos e impostos ao governo. Quando precisa de máscaras, de ventiladores mecânicos, etc, basta o governo solicitar à iniciativa privada, como agora faz a GM que, além de automóveis, de imediato, está fabricando tais ventiladores! Dizer-se socialista , mas tendo o mercado neoliberal para sustentá-lo, seria o utópico “paraíso do proletariado”, desde que ainda eliminadas a ditadura e a falta de liberdade, que patenteiam o comunismo !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *