Artigo – Doença misteriosa em crianças é relacionada ao Covid-19 e tira o sossego dos pais

Por Oswaldo Bezerra

Autoridades do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA emitiram, na última quinta-feira, um alerta de que uma doença inflamatória que apareceu em crianças nas últimas semanas pode estar ligada ao COVID-19.

A doença, chamada Síndrome Inflamatória Multissistêmica em Crianças (MIS-C), foi relatada pela primeira vez no final de abril na Inglaterra. Depois foram relatados casos em outros países, sobretudo, nos EUA.

A França informou, também na última quinta-feira, que uma criança de 9 anos, que havia testado positivo para COVID-19, havia morrido devido ao MIS-C, marcando a primeira fatalidade do país devido à doença.

Em 9 de maio, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, também informou que três crianças do estado haviam morrido da doença e disse na quinta-feira que havia mais de 100 crianças com casos conhecidos da doença em Nova York.

A condição foi comparada à doença de Kawasaki, que é comum em crianças menores de 5 anos e causa inflamação dos vasos sanguíneos em todo o corpo. A doença de Kawasaki geralmente causa febre, erupção cutânea, dor de garganta e glândulas linfáticas inchadas. Os sintomas da MIS-C incluem febre, dor abdominal, diarreia, vômito, alterações na cor da pele, erupções cutâneas e respiração difícil.

Segundo a Academia Americana de Pediatria, os médicos devem relatar casos suspeitos aos seus departamentos de saúde estaduais, locais ou territoriais, mesmo se o paciente também atender a todos ou parte dos critérios para a doença de Kawasaki”.

O MIS-C também deve ser considerado em mortes pediátricas com evidência de SARS-CoV-2 (o vírus que causa o COVID-19). Oficiais de saúde e especialistas estão monitorando a condição de perto para aprender mais sobre fatores de risco e curso clínico, acrescenta o comunicado da CDC.

A detecção precoce pode prevenir doenças graves ou morte. Os pais devem procurar ajuda médica imediatamente para seus filhos quando apresentarem sintomas como febre persistente, erupção cutânea, dor abdominal, vômito e diarreia.

Embora o CDC ainda não tenha fornecido orientação o tratamento envolve imunoglobulina intravenosa e os cuidados de suporte. A terapia com imunoglobulina usa vários anticorpos diferentes para tratar várias condições de saúde.

Amber Dean, é uma nova-iorquina estava se recuperando de um ataque leve de corona vírus. A família de cinco filhos havia acabado de terminar a quarentena quando o filho mais velho de 9 anos, adoeceu. Não parecia nada grave no primeiro dia. No dia seguinte, ele não conseguia segurar nada e sua barriga doía tanto que não conseguia nem se sentar.

Os médicos suspeitaram de uma infecção no apêndice e o mandaram para casa. A condição da criança piorou de forma alarmante e os médicos perceberam que ele estava entre o número pequeno, mas crescente, de crianças com uma misteriosa síndrome inflamatória relacionada ao corona virus.

Internada as pressas, a criança recebeu soro e monitoração cardíaca.  A mãe relatou que o sistema respiratório da criança não foi afetado mas sim o coração. A criança se recuperou e sua mãe está atenda aos seus outros dois filhos de 3 anos e 7 meses. “É uma coisa assustadora, ver seu filho conectado a todos esses fios e não poder fazer nada”, disse a senhora Dean. “Na minha opinião, agora, eu não deixaria um filho meu sair em público.”

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *