Pais denunciam que filho teria tido a cabeça arrancada em parto

Um bebê teria tido a cabeça degolada durante um parto realizado na Santa Casa de Misericórdia na última sexta-feira (16). A denúncia foi feita pelos pais da criança, Roberto Lemos e Daira Oliveira de Souza, que vieram do município de Ourém para realizar os procedimentos para o nascimento do filho em Belém. Segundo o casal, a cabeça do bebê foi arrancada após ter sido forçada em uma tentativa de parto natural pela equipe que realizava o trabalho. 

Em relato à Redação Integrada de O Liberal, uma amiga da família, Amanda Vieira, disse que Daria chegou na sexta-feira pela manhã na Santa Casa já em trabalho de parto. Segundo a amiga, Daira não teria feito o parto em Ourém, município do nordeste do Pará, em razão de o bebê apresentar problemas no rim.

Amanda acompanhou o trabalho na sala de parto e disse que viu a equipe da Santa Casa incentivar o parto natural, mas houve muita dificuldade para a retirada do bebê. Segundo relato da amiga, a parturiente chegou a ficar de quatro, sob orientação da equipe do hospital. Duas enfermeiras teriam feito massagens na barriga de Daira para ajudar a saída da criança. Elas não conseguiram e desistiram, mas o procedimento foi continuado por outras enfermeiras e enfermeiros, “até que uma bem novinha puxou, puxou com muita força e a cabeça do bebê caiu no chão”. 

Amanda diz não aguentou a cena e saiu gritando da sala de parto. A mãe desmaiou e a equipe da Santa Casa levou Daira para finalmente levar a cesária e retirar o corpo do bebê. “Eu vi o bebê depois. Ele estava inchado, com a barriga muito grande. A pele estava descascando, soltando”, afirmou Amanda.

Por volta das 15h deste sábado (17), Roberto, pai do bebê, registrou um boletim de ocorrência no posto da Polícia Civil que funciona dentro da Santa Casa. O corpo do neném segue no necrotério da fundação Santa casa e deve ser sepultado amanhã de manhã.  A família não informou o local do sepultamento. 

O governador Helder Barbalho lamentou no começo da tarde deste sábado (17) o caso. Segundo o governador, a Polícia Civil já foi acionada para esclarecer o ocorrido, e os envolvidos no acontecimento afastados das atividades na unidade hospitalar. 

 

“Ao tomar conhecimento sobre o triste acontecimento na manhã deste sábado, na Santa Casa do Pará, mandei imediatamente afastar todos os envolvidos que participaram do atendimento a gestante, vinda de Ourém”. 

O governador completou. “Pedi também a Policia Civil do Pará que apure com rigor o ocorrido, abrindo um inquérito para investigar, junto com o Renato Chaves, as causas e os responsáveis, para eventuais punições sobre o caso.”

A Redação Integrada de O Liberal já entrou em contato com a Santa Casa e a Polícia Civil e apura mais informações sobre o caso.

Fonte: O Liberal
Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *