Médicos são acusados de matar e retirar órgãos de menino de 10 anos

Três médicos acusados de matar e remover órgãos de uma criança de apenas 10 anos, quando ela estava internada em um hospital, são julgados nesta quinta-feira (28), no 1º Tribunal do Júri. O caso aconteceu em Poços de Caldas, a 470 km de Belo Horizonte.

Eles foram denunciados pelo Ministério Público de Minas Gerais por homicídio qualificado e remoção de órgãos ou partes do corpo de uma pessoa em desacordo com a lei. A situação é agravada pelo fato de a vítima ter menos de 14 anos à época do crime.

O caso ocorreu em abril de 2000, na Santa Casa de Misericórdia. Paulo Veronesi Pavesi, com apenas 10 anos à época foi levado para o hospital após cair da grade de um playground. Na unidade de saúde, de acordo com a denúncia do MP, os médicos teriam cometido uma série de atos e omissões voluntárias para forjar a morte da criança e que seus órgãos fossem doados.

A Justiça aceitou denúncia contra quatro médicos em 2002 e eles foram condenados, em primeira instância, em 2010, quando o caso completou 10 anos. No entanto, o processo foi anulado depois que o MP colocou em suspeição a atuação do promotor de Justiça no julgamento. O quarto profissional de saúde teve o processo desmembrado e não está seno julgado nesta sessão.

Depois disso, o processo foi transferido de Poços de Caldas para Belo Horizonte, após pedido do MP. O primeiro julgamento na capital mineira foi marcado para março de 2015, depois adiado para abril e, em seguida, foi suspenso por decisão de órgãos superiores.

Fonte: O Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *