Câmara Municipal de Altamira aprova criação de seis secretarias e gera revolta da população

Nesta terça-feira (20), a população em geral e integrantes de movimentos populares  estiveram presentes durante uma reunião na Câmara Municipal de Altamira reivindicando sobre o descaso da atual gestão do Prefeito Claudomiro Gomes e sobre a criação de seis novas secretarias.

A votação na casa legislativa para a criação das secretarias de Agricultura, Esporte, Cultura, Turismo, Segurança Pública e Regulação Urbana, além da votação para a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2022, foram um dos motivos para os ânimos se alterarem.

Veja no vídeo:

Durante a manifestação na câmara mais de cem pessoas foram impedidas de entrar e do lado de fora um forte esquema foi organizado pelos órgãos de segurança pública.

”Essa onda de indignação é mais do que justa, o povo ironicamente se sente ultrajado por quem elegeu com expressiva maioria para ser um prefeito à semelhança dos janízaros, um templário defensor da transparência, da moralidade, enfim, dos reais interesses da população. Os fatos não correspondem a imagem construída do prefeito e de seus apoiadores no Legislativo durante a campanha. Estamos constatando que mais uma vez compramos gato por lebre, somos vítimas de uma fraude retórica, de um engodo eleitoreiro”, disse um dos integrante do SOS Altamira, Pierre Ramalho.

Munidos de faixas e cartazes os manifestantes cobravam explicações e mais transparências. ”A criação de seis secretarias sem apresentar projeto, sem cálculos de gastos que vão trazer um custo para a máquina pública e mesmo assim foi passado por cima da vontade do povo e foi aprovado com unanimidade. A população segue revoltada, mas esperançosa. Protestamos também contra índices de corrupção e duas tentativas de pregões, pois a cidade se encontra em estado de calamidade pública com dispensa de licitação com índices de irregularidades e tentativas de favorecer investidores de campanha”, destacou Júnior Mineiro da SOS Altamira.

O prefeito, Claudomiro Gomes, tem 15 dias para sancionar a decisão. No dia 18 de agosto haverá uma audiência pública no processo que apura o crime eleitoral de compras de votos do prefeito em 2020.

RG15/O Impacto – Diene Moura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *