Latrocínio: Idoso baleado durante roubo de celular morre no hospital de Santarém

O idoso identificado como Carlos Souza dos Santos, 65 anos, morreu na manhã de quinta-feira (23), após ficar três dias internado em estado grave, se recuperando de um tiro desferido durante o roubo de um aparelho celular. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação do Hospital Municipal de Santarém, Dr. Alberto Tolentino Sotelo.

O latrocínio ocorreu na segunda-feira (20), em uma calçada na travessa Iguaçu, bairro Aeroporto Velho, em Santarém. Imagens de videomonitoramento registraram toda a ação criminosa. No vídeo, aparece o idoso aparentemente falando com alguém no celular, quando é surpreendido por dois indivíduos em uma motocicleta. Na abordagem, o idoso demora alguns instantes para entregar o aparelho, momento em que os criminosos atiram. A vítima vai ao solo e grita por socorro.

De acordo com o Coordenador do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), enfermeiro Joziel Colares, a vítima foi alvejada no tórax, abaixo do mamilo esquerdo. Ele foi conduzido ao Pronto Socorro Municipal (PSM), com quadro clínico considerado delicado.  Até esta publicação, a dupla criminosa não havia sido presa.Qualquer informação sobre o paradeiro dos suspeitos pode ser repassada através do 190 ou na delegacia mais próxima, sua identidade será mantida em sigilo.

Crime latrocínio

Segundo o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), o latrocínio é uma forma qualificada do crime de roubo, com aumento de pena. “Quando a violência empregada resulta em morte. Está enquadrado no artigo 157, §3, II do Código Penal, que consta no capítulo dos crimes contra o patrimônio e não dos crimes contra vida como muitos pensam”, destacam.

Ainda conforme o TJDFT, a  pena prevista é de 20 a 30 anos de reclusão e multa. O latrocínio é considerado como crime hediondo, segundo a Lei 8.072/90.

Matéria atualizada às 12h56.

Por Diene Moura

O Impacto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.