O governo municipal que queremos

No Brasil temos três espécies de governo, o nacional representado pelo Presidente da República, o estadual representado pelo Governador do nosso Estado e o municipal representado pelo Prefeito do nosso Município.

Muitos governantes já passaram pelo poder e de absolutamente todos temos uma queixa a dizer.

O governo é direcionado por três espécies de poder: o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. Este último ainda é considerado o melhor dentre os três. Pois é preciso garra para ser aprovado em concurso público para juiz. Diferente dos demais poderes que dependem mais de influência e publicidade política do que a própria competência.

Nosso País hoje é direcionado por uma mulher, que com grande força e influência política, chegou ao poder. Nosso Estado, por um Governador que nem fez tanto assim no seu último mandato. Todavia, fez mais do que a última Governadora que parecia que não levava seu cargo tão a sério como deveria.

Nosso Município é o que mais nos interessa nesta matéria. Governado pela reeleita Maria do Carmo, rodeada por algumas pessoas competentes e por muitas não tão competentes quanto deveriam ser para estar junto ao “poder municipal”.

Primeiramente, mostrando minha simpatia e admiração pela Prefeita atual, mas minhas críticas em várias áreas de seu governo. Como por exemplo, realizar concurso público e depois deixar de empossar os aprovados que com muito esforço entre a correria do dia a dia, se dedicaram ao estudo e pagaram inscrição para poder participar como candidato. Isso é uma falta de respeito não só com os aprovados, mas com todos nós santarenos que temos uma Prefeitura cheia de gente empregada porque é conhecido do “fulano”, do “beltrano” e que nem mesmo foram aprovados em concurso público.

Parece que, pela intervenção do Ministério Público Estadual juntamente com a Justiça Estadual, alguns candidatos estão sendo chamados.

OUTRA VERGONHA É O SALÁRIO DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO. A Prefeitura deveria dar mais valor ao professor, porque deles é que surgem os demais profissionais.

Não trouxe só críticas, mas também elogios os brilhantes projetos dos asfaltamentos de rua e avenidas que atravessam a cidade de uma ponta à outra, como a rua São Bartolomeu de Gusmão, que deixaram a cidade mais ampla e valorizando bairros mais distantes. Realmente foram obras inteligentes e que valorizam a cidade.

Outro ponto positivo é o Hospital Municipal, que apesar de não ser ainda uma excelência, melhorou e muito no governo da atual Prefeita. Saúde é algo muito importante. Sem saúde, nada anda na vida de uma pessoa.

A Constituição Federal afirma em seu artigo 23 que, juntamente com o governo nacional e estadual, compete ao Município: a saúde, a proteger o meio ambiente, o transporte público, o trânsito urbano, a educação, o esporte e lazer como por exemplo, as praças e quadras esportivas. Observando que a competência do Município é sempre residual, adstrita ao interesse local.

O governo municipal que queremos é aquele que contrata através de serviço público quando deve contratar, que age com transparência, que investe na cidade tudo que recebe, que dá prioridade às empresas já situadas em nossa cidade quando aventar de contratar serviços. Que deixa a cidade limpa, bonita, com asfalto bom, e não aquele que é só para enganar os santarenos, que não dura nem dois anos. PRECISAMOS TAMBÉM DE MELHOR VALORIZAÇÃO DOS PROFESSORES, PARA QUE AS CRIANÇAS CARENTES TENHAM DIREITO A UM FUTURO MELHOR. É um absurdo a educação nas escolas municipais, pois não se vive só de um bom lanche escolar.

Santarém não pode nem exigir muito dos professores da rede municipal de ensino, pois pelas condições materiais que recebem não tem como eles mesmos terem um preparo melhor para ensinar seus alunos.

Por: Jacqueline Ferreira da Silva

E-mail: jacquestm_@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *