Adolescente morre em grave acidente em Itaituba

Adolescente Oneice morreu no acidente

A ausência de agentes da Comtri nas ruas de Itaituba, nos finais de semana, faz com que motos e carros sejam conduzidos por algumas pessoas verdadeiramente irresponsáveis que desobedecem por completo as leis do Trânsito e acabam gerando um estado de caos completo com índices elevados de acidentes.

No último final de semana, entres sábado (08) e domingo (09), o Samu e o Corpo de Bombeiros tiveram que socorrer várias chamadas em socorro às vítimas no trânsito. O acidente mais grave envolveu três jovens que estavam em uma moto que se descontrolou quando tentavam passar em uma lombada, jogando as três jovens há vários metros de distância.

A moto era conduzida da por Oneici dos Santos Pereira, de 17 anos, que ao bater de forma violenta a cabeça em um poste não resistiu e teve morte instantânea. O que agravou o quadro de saúde das três mulheres é o fato de estarem trafegando sem capacete e em alta velocidade em um mesmo veículo, o que não possibilitou o desvio da lombada.

Família de Oneice culpa COMTRI pela falta de fiscalização no trânsito

O acidente ocorreu às 16 horas de domingo, dia 09, na 22ª Rua. Oneici, que morreu na queda, teve seu corpo velado no barracão comunitário do bairro Jacarezinho, enquanto que as outras duas vítimas estão em Santarém: Ana Kelly, de 16 ano em estado de coma e Roneise (que cortou os lábios e apresenta quadro clínico melhor).

Segundo informações da Polícia, a condutora da moto, Oneici, trafegava com as outras duas amigas, sendo que a menor não tinha muita habilidade na condução do veículo que havia sido pego sem a devida permissão do proprietário, ex-marido de Oneici.

O fluxo de veículos para a 22ª Expoagro também contribuiu para os acidentes, haja vista que não houve fiscalização na BR-163 até o Parque Hélio Mota Gueiros. Mas tem sido comum a presença de jovens pilotando motos sem capacetes, entrando na contramão, não respeitando as sinalizações e fazendo piruetas, colocando em risco a vida de pedestres e outros veículos.

Por: Nazareno Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *