Inércia das instituições ambientais indigna ecologistas

Inércia das instituições ambientais facilita ação de predadores na prática de arrastão

A inoperância, sucateamento, omissão e incompetência do IBAMA e das Secretarias de Meio Ambiente, são razões ou os principais motivos do extermínio da biodiversidade (peixes, aves, animais silvestres e quelônios) em toda a Região Oeste do Pará. Dada a proliferação sem precedentes, dos crimes contra a ecologia, os quais, geralmente ficam na base impunidade, muitas pessoas indignadas e sem saber a quem denunciar já comentam fazer justiça com as próprias mãos.

É patético publicar exaustivamente que a mãe natureza está desfalecendo, vítima da abusividade de: Queimadas criminosas em pastagem, desmatamento indiscriminado, exploração ilegal de madeira ou de fachada com projeto de manejo, caça predatória nas matas, arrastão nos logos, lixeiros às proximidades de mananciais, poluição sonora, despejos de lixo fluvial e urbano. Infelizmente, isto tudo vem acontecendo a céu aberto, a Luz do dia e nas barbas dos cidadãos inerentes a questão. Ou seja, justamente as pessoas que são pagas com dinheiro do contribuinte para preservar, continuam surdas, cegas e mudas.

Por tais razões, está na hora do Ministério Público, na qualidade de fiscal da Lei, dar uma resposta para os preservacionistas. Isto é, coibir tais atos lesivos ao meio ambiente com rigor.  Neste contexto, a sociedade como um todo, pede punição para criminosos que de forma acintosa, continuam agredindo, destruindo as florestas. Como conseqüência disso tudo causa danos e impactos ambientais à mãe natureza. Afinal, a Constituição Federal elenca que todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente preservado para o presente e futuras gerações.

QUADRO DE SAÚDE – A secretária Socorro Damasceno continua realizando os trabalhos de medicina preventiva e curativa na zona rural. Após atendimentos contextualizados no Programa da Saúde da Família – PSF, nas comunidades pólos da zona de planalto (colônias). Tais atendimentos médicos, com técnicos, enfermeiros e ACS, estão sendo realizados na zona de várzea. Além de consultas acompanhadas de medicamentos básicos, são realizadas aplicações de vacinas, verificação de PA, teste de glicemia e outros atendimentos de rotinas. As comunidades programadas para receber os atendimentos básicos são: Quarteirão do Arapiry, Salvação, Urucurituba, Pai Antônio, Atumã, Surubiu- Miry, Mato Grosso e Surubiu- Açú.

FUTRIMANGANDO – No mundo contemporâneo é impossível o exercício da cidadania, de qualquer natureza sem o sinal da Internet. Por isso, existe uma necessidade imperiosa dos nossos legítimos representantes: Deputados Estadual, Federal e Senadores, cobrar junto a EMBRATEL melhor qualidade nos serviços. É só iniciar o período invernoso, começam os prejuízos, transtornos e mal estar para entidades, clientes e usuários. Com a palavra, os heróis pára-quedistas que sem nenhum pudor só botam as caras de quatro em quatro anos.

Jornal O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *