Denúncia: Borracharias viram criadouros do mosquito da Dengue

Pneus velhos são jogados na rua e servem de depósito do mosquito
Pneus velhos são jogados na rua e servem de depósito do mosquito

Quando menos se espera, as autoridades municipais que cuidam da vigilância sanitária deparam com um gigantesco criatório de mosquitos da dengue. Fica localizado em pleno centro da cidade, na esquina das avenidas Borges Leal e Curuá-Una, onde existe grande acúmulo de pneus, inclusive de trator, que vem acumulando água da chuva e tem servido de local propício para reprodução e crescimento dos mosquitos Culex sp (Carapanã) e do Aedis aegipt (Transmissor da dengue). O que mais causa revolta é saber que moradores vizinhos ao criatório gigantesco da dengue já fizeram centenas de denúncias sem a devida resposta, inclusive alguns já tiveram dengue.
Além das conseqüências desagradáveis das picadas do carapanã, e uso freqüente de mata mosquitos feita não apenas pelos moradores vizinhos, como também por pessoas que trabalham na borracharia, ainda tem o detalhe da poluição visual. De longe se registra o desleixo feito por montes de pneus amontoados. Conforme denúncias chegadas à nossa redação, a área pertence à borracharia Lobato, que teria sido avisada da irregularidade que pratica e não tomou providências.
Os moradores vizinhos ao local infestado aguardam providências da DIVISA e Seminf, visto que envolve vários setores da administração Municipal.
Outra borracharia que é um verdadeiro depósito do mosquito da dengue fica localizada na Avenida Anysio Chaves, em frente às sedes da Prefeitura de Santarém e Câmara Municipal.
Terrenos baldios: Mais uma vez nossa equipe de reportagem faz fotos de terrenos baldios que se transformaram em criatórios de mosquitos da dengue e quem sabe até do mosquito transmissor do calazar. Como a situação parece não ter solução, pois o Código de Postura é desrespeitado pura e livremente, restam os flagrantes feitos por nossa equipe.
Orla suja: Moradores vizinhos a orla da cidade fazem denúncias do barulho e da sujeira que existe no local, que deveria ser um dos melhores da cidade. Para completar o caos, metros de madeiras beneficiadas foram abandonados em uma área do porto da Praça Tiradentes. Bem na porta de entrada fluvial da cidade, sem que o poder público se importe em retirar. Bem que a Pérola do Tapajós merecia ser melhor cuidada pelo poder público municipal.

Por: Carlos Cruz

3 comentários em “Denúncia: Borracharias viram criadouros do mosquito da Dengue

  • 10 de fevereiro de 2013 em 20:48
    Permalink

    EU JÁ VI MUITA BOBEIRA MAIS IGUAL A ESTA QUE TEM NA ORLA DE SANTARÉM EU JAMAIS TINHA VISTO.
    UNS BABACAS,OTÁRIOS,BOBÃO NÃO COMEM NINGUÉM,ELES COLOCAM O SOM DOS CARROS BEM ALTO COLOCAM UM CIGARRO ENTRE OS DEDOS E FICAM BAFORANDO FUMAÇA E TOMANDO CERVEJA,UNS OTÁRIOS GASTAM O QUE NÃO TEM PARA COLOCAR SOM NO CARRO PARA AS OUTRAS PESSOAS ESCUTAREM, DEPOIS FICAM SEM DINHEIRO COMENDO FARINHA E CHURRASQUINHO DE CARNE SEM QUALIDADE E SEM HIGIENE NENHUMA.SENHOR PREFEITO VAMOS ABRIR CONCURSO PARA GUARDA MUNICIPAL E DEVER DA GUARDA MUNICIPAL ZELAR PELO PATRIMÔNIO PÚBLICO. SOM ALTO ATÉ AS TANTAS, FAZEM O QUE QUEREM AQUI NA ORLA, NÃO TEVE DURANTE 08 ANOS COMANDO A CIDADE NO GOVERNO PASSADO.
    SEUS OTÁRIOS DOS CARROS DE SOM VCS SÓMENTE FAZEM ISSO AQUI EM SANTARÉM EM OUTRO LUGAR VCS VÃO PARA VALA.PENSAM QUE SÃO DONOS DA CIDADE TEM QUE RESPEITAR O DIREITOS DOS OUTROS SEUS BABACAS FICAM ATÉ TARDE E NÃO COMEM NINGUÉM.SANTARÉM CHEIO DE MULHERES BONITAS E OS BABACAS ESCUTANDO SOM ALTO E PERTURBANDO AS OUTRAS PESSOAS,POR ISSO QUE SANTARÉM TEM MUITO SAPATÃO (LÉSBICAS)HOMEM AQUI SÃO POUCOS QUE GOSTA DE MULHER.
    VOLTAREI ME AGUARDE

    Resposta
  • 9 de fevereiro de 2013 em 09:11
    Permalink

    EU JÁ FALEI SOBRE ESTE BORRACHEIRO FAZ MAIS DE 01 ANO,MAIS AGORA QUE FOI LOCALIZADO ESTE BORRACHEIRO NO CENTRO DA CIDADE.
    MEUS PARABÉNS PELA DESCOBERTA.

    Resposta
    • 9 de fevereiro de 2013 em 13:51
      Permalink

      Concordo com você Jorge! E porque a rodovia Curua-Una é movimentada. E se não fosse..

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *