Informe RC

NOTA 10 AOS DELEGADOS

Desaparelhada, sem viaturas, material humano e combustível necessário, mais uma vez a Superintendência da Polícia Civil sediada sem Santarém com ramificação a todo Oeste paraense presta sua colaboração à Justiça. Neste início de mês seus delegados com ajuda de órgãos internos da Polícia Militar no combate ao crime, desbarataram e prenderam 6 marginais de aproximadamente 15 de perigosa quadrilha intermunicipal que há tempo operava em municípios da área, especializada em crimes tipificadas no Código Penal, do planejamento a execução de assalto, furtos e arrombamentos a caixas eletrônicos com o bando contando com equipamento necessário a suas ações contra o alheio “apreendidos” e tinham como mentor intelectual do grupo um cabo PM que dava apoio logístico aos assaltantes. Não é a 1ª vez que integrantes da PM em Santarém prestam serviços ao crime. No assalto a agência do Banpará numa manhã de 3 de agosto de 2010, três assaltantes, com um engravatado, surrupiaram mais de 1 milhão de reais e as Polícias Civil e Federal no fim da apuração apontaram um sargento PM de ter auxiliado os bandidos com a mesma ajuda dada pelo cabo, cuja ação remetida a Justiça ainda dormita no Fórum local. Até quando?

JUSTICEIRO

Transformado por vontade própria em justiceiro do Senado Federal, o senador paraense Mário Couto “PSDB” quer afastar de seu caminho, usando a tribuna do Senado, seus adversários na política e nos esportes, já que no Pará é proprietário do clube de futebol Santa Cruz de Cuiarana, no município de Salinas, disputante sem sucesso do campeonato paraense. Sua pregação de honestidade não tem o aval da Associação dos Magistrados do Pará, de promotores do Ministério Público que apuram desvios na Assembléia Legislativa da qual foi presidente por 4 anos (2003 – 2006) quando deputado estadual e de parte da mídia que o acusam de convivência com artigos do Código Penal. Mês de março, anunciou apresentação de um pedido de CPI para apurar desvios na SUDAM, acusando seu colega de Casa, senador Jader Barbalho. Semana passada, pediu pessoalmente ao presidente da CBF intervenção na Federação Paraense de Futebol, apontando irregularidades e de seu dirigente, coronel reserva da PM Antonio Nunes, ser corrupto, pela Federação comprar passagens aéreas numa agência de turismo, pertencente a diretor da instituição. Poucos acreditam de obter sucesso nestas empreitadas.

COBRANÇAS

O prefeito Alexandre Von “PSDB”, quando começam as cobranças, deve reunir seu secretariado e auxiliares diretos e pedir diagnóstico destes 3 meses de governo a cada setor da administração, recomendando menos reuniões e mais ação junto a população, percorrendo a cidade e bairros periféricos ouvindo reclamações, maioria de fáceis soluções. Difícil ligarem para Secretário que não tenha como resposta estar em reunião, no fundo fugindo a darem informações. Bem poucos se salvam. Enquanto a turma se reúne na imaginação e não resolve nada, haja reclamações: lixo sendo jogado no rio em frente a avenida Tapajós, buracos nas ruas aumentando, iluminação pública precária com falta de lâmpadas, praças sujas, dezenas de pontos de lixos em formação e da situação do cais de arrimo (orla) ser precária com pontos ameaçados de desabamento, principalmente agora transformada em porto de embarque a desembarque, com embarcações apressando o desenlace. Como o Prefeito não tem poder de Mandrake e nem pode fazer tudo sozinho, os queixumes ainda são pequenos, o que não pode é o 2º escalão ficar em intermináveis reuniões diárias e deixarem suas obrigações ao Deus dará.

ELEIÇÃO DIFÍCIL

Poucos observadores políticos despidos de filiação partidária acreditam de partidos ligados a presidente Dilma no Congresso, candidata a reeleição, ocupando cargos em Brasília e nos estados, colhendo dividendos políticos e financeiros, divirjam da orientação de apoiar a candidata do PT, cobrada pela própria, o que não ocorria anteriormente quando a infidelidade partidária era generalizada, a não ser que entreguem as sinecuras e disputem com candidaturas próprias. Teste para governos estaduais de oposição. Afogado em denúncias de corrupção com algumas legendas aliadas e lideranças ameaçadas pelo Supremo Tribunal Federal de curtirem prisão, a direção do PT começa a tomar consciência de não poder perder. Se não vencerem no 1º turno contra Aécio Neves “PSDB”, Eduardo Campos “PSB” e Marina Silva “RS” não vencem no 2º, aí o sonho de perpetuação no poder acaba, não tem dinheiro e nem bolsa voto que reverta a derrota, principalmente se os índices de aprovação da excelência até outubro de 2014, não nivelarem aos da inflação.

NO MARANHÃO É PIOR

Apesar da gastança desnecessária de recursos públicos, como diz a oposição no Congresso, serem altas, como ocorreu mês passado com a viagem da companheira Dilma à Itália, quando comandou comitiva vistosa como a maior do planeta, ocupando por 3 dias 52 suítes em um dos hotéis mais caros de Roma para assistir a coroação do Papa Francisco, no estado do Maranhão, considerado o Haiti do Brasil, dominado a quase 50 anos por familiares do senador José Sarney, a começar da filha governadora, a situação com gastos é pior, representando um escárnio a parte pobre da população vivendo abaixo da linha da miséria, sofrendo de insegurança alimentar. Em 2012, a residência oficial da governadora rainha Roseana Sarney consumiu quase 70 toneladas de alimento (sem contar arroz, macarrão, feijão e farinha), 5 toneladas de sobremesa e 23 mil litros de bebidas, incluindo água mineral. O suficiente para manter num hotel de luxo, 220 hóspedes diários, durante 1 ano. Bom, quando o povo paga a conta.

INSATISFEITOS

Vereadores da base política do Prefeito na Câmara Municipal (quase todos), maioria no reservado soltam as línguas e confessam não estarem satisfeitos com o tratamento nestes 3 primeiros meses de mandato, quanto as promessas de participação das excelências mirins na administração, a qual entendem como empregos para cumprirem acertos de campanha com cabos eleitorais e lamentam não haver matérias de interesse  da Prefeitura para ser apreciadas pela Câmara em votação secreta, onde demonstrariam o grau de insatisfação, a qual segundo alguns chega a atingir o presidente da casa Henderson Pinto, avaliado com nota 10. Os antigos afirmam de na época do PT terem sido melhor tratados.

NOIVO DO ANO

Todo ser humano em suas atividades tem direito a 15 minutos de fama. Contrariando membros da família e empregados, o empresário Francisco Aguiar, ainda sem partido, o conhecido Chapadinha, para amigos no reservado confessa possuir no sangue a paixão de seus antepassados pela política. Está prestes, depois de muito pensar, seguir este caminho se propondo sair candidato a Câmara Federal. Quer iniciar na vida pública como coronel, não soldado como o mano Hilton Aguiar “PSC” que passou mais de 20 anos para chegar a deputado estadual. A verdade é do Chapadinha, bastante rico e dono de muitos pés “sapatarias”, está vivendo seus 15 minutos de fama transformado em noivo político do ano, sendo cortejado pelos 2 maiores grupos políticos do Estado através de telefonemas e pombos correios oferecendo agasalho (legenda). Como Chapadinha é cristão novo e não se engasga na 1ª hóstia, vai enrolando os pretendentes, dizendo estar avaliando as ofertas e até ano que vem, depois de analisar as propostas de casamento, escolhe a noiva. O que o dinheiro não faz? Se fosse pobre não seria convidado nem pra enterro.

CORRETO

Semana passada a mídia local mostrou a derrubada de um muro levantado no meio da rua por um modesto empresário de eventos no bairro do Aeroporto Velho para se apossar de parte do terreno impedindo o direito de ir e vir de dezenas de moradores, feita com máquina da prefeitura “SEMINFRA” por determinação da Justiça em ação ajuizada pela Associação dos Moradores. Correto. Pena do exemplo dado por uma modesta entidade não seja seguido pelo secretário municipal do Meio Ambiente para defender os moradores do bairro do Uruará, que teve um trecho de praia concretada para servir de porto do início da rua a beira do rio Tapajós, pela rica empresa BERTOLINI tolhendo a passagem de residentes e destruindo uma avenida, a Antonio Simões, assim como fez recente na Matinha, próximo ao igarapé do Irurá. O povo grita, mas não é ouvido.

UM CASO SÉRIO

O dia a dia da Penitenciaria Hotel do Cucurunã em nada difere das centenas espalhadas pelo País. Nunca foi bem avaliada pela população, muito menos por advogados e familiares dos presos. Recente a de um detento culpou a direção pela morte ocorrida no Hospital Municipal, depois de muitas vindas e idas, onde tomava dipirona e retornava a cela. A viúva alega de enes vezes ter alertado a direção da Casa Penal “omissa” do morto ser portador de diabetes, sem oferecerem ao desaparecido o tratamento adequado. Não cabe analisar a quem cabe a culpa pelo óbito e sim verificar as causas, para evitar outras vítimas. É público da penitenciaria de Santarém ser um depósito de presos, portadores de doenças contagiosas sem serem tratados. Por que o Ministério Público Estadual não determina a SUSIPE a fazer um Mutirão pela Saúde no local? Os familiares dos mortos-vivos e a cidade iam agradecer a iniciativa da Justiça.

INSENSATEZ

Numa cidade onde Código de Postura e leis ambientais não são respeitados, com lagos e igarapés sendo poluídos, fazer obedecer a conservação de prédios históricos, sem setores da administração “Seminfra e Meio Ambiente”, responsáveis pelos estragos saberem distinguir o antigo do moderno, é o mesmo de tentar ensinar cavalo descer escada. Mas no meio de insensatos sempre surge uma opinião sensata, brotada diante da insensatez materializada. As obras de demolição de parte do morro onde fica o Colégio Frei Ambrósio de dois prédios centenários em frente à Praça do Pescador, avalizadas pelo setor competente da Prefeitura, levou o vereador Waldir Mathias “PV”, atual secretário de Planejamento, a sugerir a SEMINFRA ser mais cuidadosa na liberação de alvará de construção para evitar que haja perdas de nossa história e se interesse na conservação de nosso patrimônio histórico, já que falta consciência dos proprietários.

RODA DA FORTUNA

Breve o prefeito de Tomé Açu e seu genitor, com prisão preventiva decretada e caçados pela Polícia, ambos em lugar incerto e não sabido, acusados de contratarem 3 pistoleiros “2 presos e 1 foragido” para matarem, segundo confissão na Polícia, 1 empresário e 1 advogado conhecidos na cidade, apesar da grita do presidente da OAB no Estado, estejam livres para tomarem conta da Prefeitura, respondendo pelo crime de pistolagem em liberdade, já que dispõem de residência fixa, profissão e muito dinheiro para constituírem advogados, nem irem impedir ações da Polícia e da Justiça na apuração do assassinato e afirmarem à imprensa ser inocentes e as suspeitas infundadas. O presidente do Supremo tem razão quando afirma: puta, preto e pobre quando erram não escapam do castigo. Prisão, processo e condenação é vapt-vupt, o que não ocorre com os abençoados pelas rodas da fortuna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *