Mineradora realiza oficinas participativas na Região do Xingu

Mauro Barros, diretor da Belo Sun, e o deputado estadual Ozório Juvenil, durante oficina

Dada importância socioeconômica para a região sudoeste do Pará, a instalação do Projeto de mineração industrial na jazida aurífera da Volta Grande do Xingu, pela Mineradora Belo Sun, é o assunto que domina as conversas das pessoas nos quatro cantos dos municípios da região.

Palestrantes debatem sobre assuntos que foram ministrados nas oficinas

Pela importância deste empreendimento, a presença da população nas Oficinas Participativas realizadas nos dias 12 e 13 passados, respectivamente, na comunidade da Ressaca, região da lavra do ouro e, em Senador José Porfírio, foi além das expectativas. Em ambos os eventos a participação das pessoas foi intensa atendendo plenamente aos objetivos das Oficinas Participativas; elucidar dúvidas, acatar sugestões e, dar total transparência à instalação do Projeto. As conclusões a que chegaram os diversos grupos temáticos passarão a constar nas condicionantes para a liberação da Licença de Operação.

Das Oficinas participaram ribeirinhos, presidente da comunidade da Ressaca, comunidades indígenas, empresários, profissionais liberais, agricultores, garimpeiros, representante do Ministério Público, Secretário adjunto da SEMAS, vereadores dos municípios impactados, e os prefeitos de Vitória do Xingu, Anapu e Senador José Porfírio, enfim, o povo em geral. Além destas autoridades citadas, esteve presente o deputado Ozório Juvenil, que defende o Projeto com veemência, por entender que após a construção da Usina de Belo Monte, esta é uma oportunidade ímpar da região dispor de considerável volume de recursos para promover o seu desenvolvimento socioeconômico.

O deputado participou ativamente das Oficinas demonstrando satisfação pelo apoio maciço da população ao projeto de mineração do ouro, da Belo Sun.

Futuro dos municípios da região do Xingu foi colocado em pauta

Os números do empreendimento impressionam. Na fase de implantação (dois anos), vai gerar 2.100 empregos diretos e, 6.300, indiretos. Na fase de operação (12 anos), 526 empregos diretos e, 1.500 indiretos, injetando na região só nesta fase de instalação em torno de R$ 1. 300.000.000,00 (um bilhão e trezentos milhões de reais). Além da geração de empregos e renda é compromisso da Belo Sun dar prioridade à mão de obra e, ao comércio, locais, só procurando atender suas demandas em outras praças na impossibilidade de supri-las na região. A mineração do ouro vai gerar ao longo de 12 anos de exploração R$ 60.000.000,00 (sessenta milhões de reais em royalties), dos quais 65% serão destinados ao município de Senador José Porfírio. Em impostos, o empreendimento deverá recolher aos cofres públicos nos três níveis da administração pública cerca de R$ 800.000.000,00 (oitocentos milhões de reais).

Como se vê, uma quantidade de recursos bastante expressiva que, se aplicada de forma eficiente e transparente pelos nossos governantes sem dúvida vai promover o bem estar e a qualidade de vida da população desta região.

Pela explanação dos técnicos presentes nas Oficinas, a tecnologia a ser usada é de última geração. No que respeita aos impactos ambientais e sociais, o projeto contempla todos os pré-requisitos exigidos pelo protocolo de normas técnicas em mineração industrial e, pelas leis ambientais vigentes, assim dando segurança à população e garantindo a mitigação dos impactos inerentes a todo processo de exploração de minérios.

Por: Pierre Ramalho

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *