Denúncia – Bertolini se apossa do porto da CDP em Miritituba

Segundo o vereador Peninha, o porto público está sendo explorado por uma empresa privada.

Estrutura construída em toda a área da CDP atende somente os anseios da Bertolini

O que era para ser um porto público, passou a ser um porto privado, explorado por uma empresa que usa todo o porto da Companha Docas do Pará –CDP para exportar os grãos oriundos do Mato Grosso. A denúncia foi feita pelo vereador Peninha, na sessão de quarta-feira (20), na Câmara Municipal de Itaituba. O edil disse que há anos foi construído no município de Itaituba, precisamente na margem direita do Rio Tapajós, em Miritituba, o Porto da CDP-Companhia Docas do Pará. Este porto, destacou Peninha, vinha sendo usado, principalmente para exportação de arroz e depois de madeira, que foram os fortes produtos movimentados ali.

“O porto foi construído para embarque e desembarque. Ou seja, a embarcação atraca, descarrega ou carrega a mercadoria e segue viagem. Muitas empresas se instalaram em Miritituba por causa deste porto, que facilitaria a saída de seus produtos. Hoje o que estamos vendo é uma estrutura construída em toda a área da CDP para apenas atender os anseios da Bertolini, com embarque de grãos (soja e milho). Esta empresa, usando toda a área do porto, instalou um engenhoso porto para exportação de grãos”, informou.

PORTO PROVISÓRIO: O Vereador foi mais além e disse: “O que vemos são centenas de carretas descarregando diuturnamente grãos ou milho (dependendo da safra) ali, em detrimento de outros produtos, como principalmente madeira, que devido à exclusividade do Porto da CDP pela Bertolini, fez com que um porto provisório fosse instalado em outra área que não é da CDP, ficando mais acima do porto da CDP, para exportação da madeira”, denunciou o Vereador.

“Será que isto está certo?”, indagou Peninha. “Se este porto é público, deveria ser usado por todo mundo e não apenas, com exclusividade pela empresa Bertolini”, alertou.

O parlamentar apresentou requerimento, que foi aprovado, pedindo que a Casa de leis encaminhe ofício ao Ministério dos Transportes-Secretaria dos Portos, e à Companhia Docas do Pará-CDP, para prestarem informações sobre esta situação. Ao mesmo tempo pediu para que seja enviado ofício com cópia deste requerimento ao Ministério Público Federal, solicitando providências, por se tratar de obra federal e envolvimento de recursos públicos.

Por: Jefferson Miranda

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *